Grupo de cristãos é preso no aeroporto do Cazaquistão

Contrabandeando Bíblias e literaturas cristãs, missionários foram interceptados enquanto desembarcavam no aeroporto do Cazaquistão

Um grupo de cristãos foi preso no aeroporto do Cazaquistão contrabandeando literatura cristã. Segundo relatos de um colaborador da Portas Abertas no país, os cristãos tinham na bagagem cerca de 30 livros e, por isso, foram detidos e levados à delegacia de polícia, onde foram interrogados. O grupo consiste em cristãos de diferentes nações – Rússia, Cazaquistão e outros países da Ásia Central, a maioria deles cristãos ex-muçulmanos.

O pastor Amar*, que estava preparado para se encontrar com o grupo, também foi convocado à polícia. Segundo informações, a polícia cazaque libertou vários cristãos que são cidadãos russos, mas outros ainda estão na delegacia. Os livros foram confiscados e enviados para a perícia.

De acordo com a definição da perícia, a polícia extremista pode tornar o caso criminal, ou exigir que eles somente paguem uma multa para serem liberados. “Eles têm que pagar a multa de qualquer maneira por contrabando de literatura”, afirma o colaborador. A liberdade religiosa no Cazaquistão é restrita e assegurada pela legislação desde 2011. Ocupando a 34ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2019, o país está constantemente trabalhando para aumentar seu controle sobre toda a sociedade, intensificando vigilância, ataques a reuniões e prisão de cristãos.

No Cazaquistão, há duas fontes principais de perseguição aos cristãos: o Estado e o ambiente muçulmano. A perseguição do Estado acontece por meio da polícia, serviços secretos e autoridades locais, que monitoram atividades religiosas e vigiam os cultos. Já a cultura islâmica, no geral, torna a vida especialmente difícil para os convertidos ao cristianismo.

Pedidos de oração

*Nome alterado por segurança