Há 28 anos o Azerbaijão é independente

Entenda como foi o processo de independência do Azerbaijão, o 50º país na Lista Mundial da Perseguição 2019

A República Democrática do Azerbaijão proclamou a independência em maio de 1918, tornando-se a primeira república democrática muçulmana do mundo. Além disso, foi a primeira nação de maioria muçulmana (após o Egito) a contar com óperas, teatros e universidades modernas. Mas em 1920 o país foi incorporado à União Soviética como a República Socialista Soviética do Azerbaijão e só declarou independência novamente em 30 de agosto de 1991. No entanto, foi em 18 de outubro de 1991 que a declaração de independência foi adotada pelo Supremo Conselho do Azerbaijão.

O Azerbaijão disputa com a Armênia a região de Alto Carabaque, que reafirmou sua disposição de se tornar um Estado independente, como a República do Alto Carabaque. Em 1990, Azerbaijão e Armênia envolveram-se em uma guerra pelo controle do enclave, habitado por uma maioria armênia. O conflito custou a vida de milhares de pessoas e forçou centenas de milhares a abandonarem suas casas.

Uma trégua foi assinada em 1994, mas era instável, pois o Azerbaijão perdeu cerca de 20% do seu território para a Armênia. Conforme informa o Euronews, o Azerbaijão confirmou o cessar-fogo no Alto Carabaque em 2016, depois de as autoridades separatistas da autoproclamada república terem anunciado o fim das hostilidades.

Em 2018, o governo do Azerbaijão propôs ampliar a cooperação técnica e econômica com o Brasil para comemorar não só os seus 100 anos de independência, como também os 25 anos do estabelecimento de relações diplomáticas entre os dois países, como informou a Agência Brasil.

Quanto ao cenário para a igreja do país, desde 1992, o governo alterou 14 vezes a Lei sobre Liberdade Religiosa. Um dos efeitos muito negativos disso é que pelo menos seis vezes, desde 1991, todas as igrejas no Azerbaijão foram obrigadas a recadastrar-se em condições cada vez mais severas. Não deve surpreender que, em cada recadastro, cada vez menos congregações conseguiram aprovação.

O Azerbaijão ocupa a 50ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2019 e os cristãos do país precisam de orações para que sejam sustentados e fortalecidos pelo Senhor em meio ao cenário bastante restritivo que enfrentam.