Viúvo lida com saudade e ameaças de morte

A Portas Abertas visitou recentemente Femi Oluwasesin, o viúvo de Christianah Oluwatoyin Oluwasesin.

Christianah Oluwatoyin Oluwasesin, professora da escola pública de ensino médio de Gandu, cidade no norte da Nigéria, foi assassinada em 21 de março de 2007, sob o argumento de ter blasfemado contra o Alcorão. Estudantes muçulmanos extremistas a espancaram e apedrejaram e depois incendiaram seu corpo.

Durante a visita, o representante da Portas Abertas, Isaac (seu nome verdadeiro não pode ser revelado por motivos de segurança), entregou cartas de encorajamento à família. Essas cartas foram escritas e enviadas por parceiros da Portas Abertas em todo o mundo.

A filha de Femi, Temi Oluwa, ficou tão feliz por receber pacotes cheios de cartas que compôs uma música para expressar seu agradecimento. Em sua música, Temi louva a Deus pelas cartas.

"Fui profundamente encorajado pelas palavras de amor vindas de pessoas que nunca vi em minha vida, de corações cheios de preocupação pelos cristãos perseguidos e de rostos entristecidos pelo que temos passado. Às vezes, me pego pensando em como será quando nos reunirmos no céu diante do Deus Todo-Poderoso. Eu perdi minha amada esposa por causa de questões religiosas; sei que nunca mais poderei vê-la neste mundo decaído, mas as cartas maravilhosas, escritas de maneira tão cuidadosa, me ensinaram a não deixar de olhar para Jesus. Fui tremendamente encorajado. Aprendi a confiar mais em Deus. Creio que Deus nunca me abandonará. Ele abençoará a mim, aos meus dois filhos e a todos que partilharam desse momento de amor”, agradeceu Femi.

Apesar de a entrega das cartas ter sido um momento de bastante alegria, Isaac ficou muito tocado com as necessidades emocionais da família. Femi parecia bastante tenso e Isaac suspeita que ele possa estar tendo dificuldades em lidar com o trauma que sofreu. A vida sem Christianah é realmente dura para Femi e seus filhos, que perguntam freqüentemente por detalhes do assassinato de sua mãe. Todas as vezes que isso acontece, Femi chora. Parece que a responsabilidade de criar e sustentar os filhos sozinho é muito pesada para ele. Uma babá o ajuda a cuidar das crianças.

Além de tudo isso, há pressões externas com as quais Femi precisa lidar. A família de Christianah entrou com um processo contra o governo de Gombe pelo assassinato da professora. Femi contou a Isaac que tem recebido ameaças de morte por meio de mensagens de texto em seu telefone celular caso não dê fim ao processo. 

Femi diz que os filhos e ele vivem com medo. Ele ainda acrescenta que a tensão tem prejudicado ainda mais as crianças, que se lembram da morte brutal da mãe e temem que o mesmo aconteça com o pai. Femi admite que o medo de seus filhos é um eterno lembrete da morte inesperada de sua esposa.
 
Para completar, a família de Christianah vem discutindo com ele por causa de problemas financeiros.

Femi precisa urgentemente de nossas orações.

Pedidos de oração: