Cristãos indianos sofrem agressões incitadas por político

| 14/11/2006 - 00:00


Durante uma reunião do "panchayat" (ou seja, o conselho da vila) realizada em 9 de novembro, um político agrediu seis cristãos, incluindo uma grávida. A reunião era sobre as ameaças feitas aos cristãos da vila Bamhni, no Estado de Chhattisgarh.
 
Puran Patel é um político que tem fortes laços com o Partido Bharatiya Janata (BJP) do Estado. Segundo fontes locais, ele oprimiu e humilhou os cristãos da vila por mais de um ano.
 
"Os cristãos de Bamhni têm sido aterrorizados por Puran desde o ano passado", disse Pramod Paul, pastor da Assembléia de Irmãos do lugar. Pramod disse que ele também já foi ameaçado, e recebeu ordens para ficar longe da vila.
 
A reunião do conselho foi marcada depois que os habitantes cristãos pediram proteção aos membros do panchayat.
 
Uma semana antes, em 3 de novembro, Puran e alguns companheiros hindus confrontaram o evangelista Ashok Baghel, de 27 anos, da vila vizinha Mardapal. Ashok estava em um ponto de ônibus, voltando de uma reunião de oração em Bamhni.

Ashok disse que o grupo segurava varas, e um deles tinha na mão uma bomba de encher pneu de bicicleta. O evangelista disse que essa pessoa com a bomba estava pronta para atacá-lo, e dizia: "Pare de vir aqui e espalhar sua fé entre esses aldeões!".
 
O ônibus de Ashok chegou naquela hora, e ele pôde entrar no ônibus e escapar do perigo.
 
No dia 5 de novembro, Puran e seus companheiros se reuniram em torno de um salão de oração da vila Bamhni, enquanto os cristãos estavam reunidos lá para o culto dominical. O grupo de Puran os ofendeu verbalmente, o que levou os cristãos a pedirem a proteção do conselho da vila. Eles obtiveram uma pequena reposta.
 
No dia 8 de novembro, os cristãos escreveram uma carta ao conselho da vila, pedindo que ele abordasse sua situação.
 
Atacados em vez de protegidos

O conselho da vila chamou as duas partes implicadas para uma reunião às 15 horas, no dia 9 de novembro. Quando todos se reuniram, o chefe do conselho leu a carta de reclamação enviada pelos cristãos.
 
Testemunhas disseram que Puran se levantou e gritou com os cristãos, usando palavras depreciativas. Então ele se dirigiu aos cristãos e começou agredi-los. Seus companheiros se juntaram a ele, atacando os homens e as mulheres do grupo.
 
O conselho da vila ficou mudo enquanto assistia à agressão.
 
Puran e os outros bateram em Anup Mandavi, Mani Korram, Jaisingh Patel e Krishna Patel. Eles também empurraram Havan Patel, esposa de Krishna Patel, contra a parede, e chutaram a barriga de Sukbati Mandavi, a esposa grávida de Anup Mandavi.
 
Quando os cristãos fugiram para a delegacia de Kondagaon, uma vila vizinha, o policial se recusou a ajudá-los. "Embora as marcas da agressão estivessem claramente visíveis, a polícia não registrou a queixa", disse Arun Pannalal, secretário geral do Fórum Cristão de Chhattisgarh, à agência de notícias Compass.
 
Em 10 de novembro, Arun telefonou para a delegacia e perguntou por que a polícia se recusou a ouvir a queixa dos cristãos. Ele também informou que o Fórum Cristão iria fazer protestos em todo o distrito caso a queixa não fosse tratada com seriedade.
 
Em resposta, o oficial em comando Johar registrou uma queixa contra Puran. Johar também disse ao Compass que as investigações estavam em andamento, e que os cristãos haviam sido levados para fazer um exame médico.
 
Mas, até o momento, não foi feita nenhuma prisão.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2023 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco