Viagens e TV alimentam tensão religiosa, diz secretário da ONU

As viagens pelo mundo e a televisão por satélite alimentaram as tensões culturais e religiosas e a alienação entre os países, disse ontem o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon.

"Hoje, há a necessidade urgente de tratar dessa tendência preocupante", disse Ban, ao abrir a conferência de dois dias na Assembléia Geral da ONU sobre o entendimento inter-religioso e intercultural.

O chefe da ONU afirmou que, em suas viagens, percebeu que as pessoas têm preconceitos parecidos. "Todas temem o que é diferente: a outra etnia, a outra cor de pele, a outra tradição cultural e linguística e, acima de tudo, a outra religião", afirmou.

"E no entanto, na era atual das viagens globais e das transmissões por satélite instantâneas, cada vez mais as pessoas encontram menos o familiar e mais do "outro"."

"Essa realidade alimenta tensões interculturais e inter-religiosas crescentes, assim como a alienação cada vez maior entre vastos segmentos da população mundial."

Ban pediu um "diálogo construtivo e comprometido" entre indivíduos, comunidades e nações para promover a idéia de que a "diversidade é uma virtude, não uma ameaça".

Ministros e diplomatas de quase 70 países devem falar na conferência, cujos organizadores são principalmente as Filipinas, de maioria católica, e o Paquistão, majoritariamente muçulmano.