"Estamos orando desesperadamente pela paz", diz líder da GFA

| 03/06/2008 - 00:00


As instabilidade política no país e as últimas restrições contra a liberdade das pessoas no Sri Lanka têm sido classificadas como um ataque direto a possibilidade de os cristãos se reunirem para orar. “Nós estamos orando desesperadamente pela paz em nosso país", escreveu Lal Vanderwall, líder do ministério Gospel for Ásia (GFA) no Sri Lanka. "A situação do país vai de mal a pior."

No dia 6 de maio, diversos estudantes da faculdade bíblica da GFA voltavam da aula quando funcionários da estrada de ferro os molestaram publicamente e os humilharam.

Há tempos que os estudantes não podem compartilhar publicamente o evangelho por causa de incidentes freqüentemente semelhantes a esse.

A situação política instável no Sri Lanka também tem afetado muito a vida deles. A inflação é um grande problema e Lal diz que o custo de vida está subindo "dia após dia." Agora, a polícia está restringindo a movimentação dos cidadãos para controlá-los.

“Até mesmo se uma pessoa estiver vindo passar apenas um dia aqui, a polícia tem que ser informada dos planos dela", contou Lal.

Detenção

Um dia depois que uma senhora missionária da GFA esteve no escritório de Lal, a polícia o prendeu porque não havia sido informada dos planos de visita da mulher. Lal foi libertado pouco tempo depois porque desconhecia a nova regra.

Segundo Lal, acaba de ser implementada uma lei que restringe o barulho depois das 22h, prevendo que não pode haver nenhum ruído de lugar religioso ou atividade em residência privada.

“A lei foi criada por policiais extremistas que agem violentamente contra os cristãos”, disse Lal. “Essa lei é um ataque direto contra as nossas reuniões privadas realizadas à noite”, afirmou.

Lal também escreveu que as pessoas de etnia tamil, uma minoria no país, têm enfrentado intimidação. Os rebeldes Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE, sigla em inglês) estão lutando por uma pátria étnica independente na parte nordeste do Sri Lanka, e por isso, os não-rebeldes tamis enfrentam violência por não se associarem a eles.

Ministério progride, apesar das circunstâncias

Muito da discussão no Sri Lanka faz parte do conflito entre o governo e os rebeldes. Porém, Lal afirma que o trabalho de Deus vai adiante. “Apesar de tudo, o ministério está progredindo. Dia após dia, pessoas estão vindo para Cristo", disse Lal. "Pessoas estão respondendo muito rapidamente ao evangelho, inclusive as forças de segurança."

Lal pede oração para ele e para os missionários da GFA que trabalham no Sri Lanka. Ore para que eles possam ajudar muitas pessoas a encontrarem a verdadeira esperança e libertação em Jesus.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE