Sacerdote carmelita é assassinado na Índia

O sacerdote carmelita Thomas Pandippallyil, 38 anos, foi assassinado brutalmente na noite de 16 de agosto, perto do povoado de Balampilly, no Estado indiano de Andhra Pradesh, enquanto se dirigia de moto para celebrar a missa dominical, segundo informou a agência missionária “AsiaNews”.

O arcebispo de Hyderabad, Dom Marampudi Joji, declarou a esta agência a “profunda comoção” que o assassinato provocou na comunidade católica, apesar de afirmar que a morte de Thomas Pandippallyil “não foi em vão”.

Violência contra cristãos

O prelado, que viajou imediatamente à área onde foi encontrado o corpo mutilado de Thomas, considera que este assassinato é “conseqüência do crescente clima de intolerância e violência contra os cristãos no país”.

Ele ressaltou ainda que  na área onde aconteceu o crime, “a Igreja trabalha pelo desenvolvimento das populações mais pobres e abandonadas”.

Dom Marampudi pediu ao governo indiano que “garanta a segurança da minoria cristã, o que inclui católicos e protestantes”. "A Constituição da Índia nos dá direito de praticar e dar testemunho em qualquer lugar do país. O governo deve enfrentar a questão seriamente e ajudar-nos”, acrescentou.