Igreja evangélica é proibida de utilizar a palavra "Alá"

| 21/11/2008 - 00:00


A Sidang Injil Borneo (Igreja Evangélica de Borneo – SIB) entrou com uma ação contra a proibição de utilizar a palavra “Alá” em suas publicações.

O caso começou em agosto passado. No dia 15, três caixas contendo publicações produzidas na Indonésia pela SIB foram enviadas para a Malásia para distribuição em escolas dominicais. Quando chegaram à cidade de Sepang, foram confiscadas pelo Ministério de Segurança.

Um mês depois, o pastor da SIB, Jerry Dusing, recebeu uma carta do Ministério, dizendo que publicações cristãs contendo a palavra “Alá” não poderiam ser distribuídas no país. Entre os motivos dados para a proibição, a carta dizia que “as publicações podem criar confusão e controvérsias na sociedade malásia.”

Em resposta, a SIB mencionou que o primeiro-ministro, Mahathir bin Mohamad, do governo anterior, havia permitido o uso da palavra em publicações cristãs. A troca de correspondências entre a SIB e o Ministério de Segurança suscitou uma controvérsia e o chefe do ISM alegou que a proibição do uso da palavra “Alá” em publicações cristãs foi retomada. A única exceção é para a Bíblia e para o uso do termo em celebrações religiosas.

O confisco de revistas publicadas pelo SIB não é o primeiro caso. Em dezembro de 2007, o ISM censurou revistas pela mesma razão, mas as liberou no final de janeiro. Algo parecido aconteceu com a comunidade católica, no mesmo mês, com a proibição do uso de “Alá” nos jornais semanais da arquidiocese de Kuala Lumpur (leia mais)

Na Malásia, quase 50% da população é muçulmana, aproximadamente 8% é cristã. Há comunidades hindus e budistas, e estima-se que mais de 20% dos habitantes praticam religiões de tradição chinesa.

Há dois sistemas judiciais paralelos no país: um federal-civil, regulado pela Constituição, e um religioso-judicial, que se aplica apenas a muçulmanos e é regulado pela lei sharia. Na confusão gerada por este paralelismo, há muita descriminação contra religiões diferentes do islamismo. Há casos freqüentes de conversões forçadas e proibições como no caso da SIB e da igreja católica de Kuala Lumpur.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco