Pastor é transferido de detenção sem o conhecimento da família

No dia 29 de junho, o pastor Dou Shaowen foi transferido secretamente para o centro de reeducação através do trabalho na cidade de Zhengzhou, Henan. As autoridades ainda não informaram sua família sobre a transferência. Atualmente, o pastor cumpre a pena de um ano por “se envolver em atividades ilegais” por causa de sua liderança da Rock Church (Panshi).

Entenda o caso.

O pastor Dou foi preso em 14 de junho, quando os oficiais do governo invadiram e lacraram a igreja. A polícia prendeu o pastor, sua esposa e mais cinco membros. O casal recebeu a sentença de um ano de trabalho em campos e os outros cinco foram condenados a 15 dias de detenção e uma multa de 500 iuans.

Dou Shaowen ficou preso no Centro de Detenção Jinshui Branch até 25 de junho, mas foi transferido durante a tarde para o centro de trabalho Baimiao. Fontes afirmam que “ele foi tratado de forma desumana. Quando tentou conversar com os policiais, foi forçado a se ajoelhar. Ele trabalhou durante 18 horas por dia e dormia com mais de 70 pessoas no mesmo cômodo. Devido à temperatura elevada e condições precárias de higiene, alguns prisioneiros estão com eczemas, herpes e outras doenças de pele. Eles quase não recebem alimentos”.

No dia 29 de junho, o pastor foi transferido para outro centro, onde as condições são ainda piores.

Quando Feng Lu, esposa do pastor, foi visitá-lo no centro de trabalhos, avisaram que ela poderia vê-lo por um mês e não foi informada sobre a transferência do marido.

O templo da Igreja Rock ainda está lacrado, e a polícia se recusa a devolver os bens confiscados na invasão de 14 de junho.

“Esperamos que o governo possa fazer justiça, declarar nossa inocência e cancelar as penas do pastor Dou e sua esposa. Que as autoridades protejam a vida normal dos cristãos, condenem as pessoas que cometem crimes e peçam desculpas a todos os cristãos.”