Trinta mulheres cristãs são presas em Asmara

Segundo um grupo de monitoramento, o governo da Eritreia prendeu 30 cristãs idosas neste final de semana.

No dia 5 de dezembro, as forças de segurança cercaram um grupo de mulheres que estavam orando juntas em uma casa e levaram-nas para a delegacia de Asmara.

A maior parte das mulheres integra a igreja Faith Mission (Missão de fé), uma igreja evangélica com base metodista. A denominação tem cerca de 50 anos na Eritreia, mas se tornou alvo do governo após o surgimento de uma lei que obriga as igrejas a se registrarem.

No entanto, foi impossível que a igreja se registrasse, pois o governo permite apenas que três denominações existam legalmente: a Igreja Ortodoxa Eritreia, a Igreja Católica Romana e a Igreja Evangélica Luterana.

“Condenamos a prisão das 30 mulheres”, disse o diretor regional da International Christian Concern, Jonathan Racho. “Pedimos que os oficiais na Eritreia soltem todos os prisioneiros cristãos no país, e que pare de violar a liberdade religiosa de seu povo.”

Nos últimos anos, o governo da Eritreia reprimiu até mesmo as igrejas registradas. O líder da igreja ortodoxa ficou em prisão domiciliar durante anos, e há relatos de invasões em cerimônias cristãs, como casamentos.

Fontes também indicaram que a tortura de cristãos na prisão é comum. Eles ficam trancados em containeres ao ar livre, e enfrentam um calor insuportável, doenças e angústia. Diz-se que os containeres medem cerca de seis metros, e abrigam de 15 a 20 pessoas.

No início desse ano, a rede Compass relatou que muitos cristãos morrem nos campos militares da Eritreia.

Entre as últimas fatalidades, está Yemane Kahasay Andom, 43, que morreu no dia 23 de julho na prisão de Mitire. Ele foi torturado e contraiu malária, o que o levou à morte (leia mais).

Mais de 2.800 cristãos estão presos na Eritreia por causa de sua fé. Lembre-se deles em suas orações.