Organização apresenta documento pedindo justiça para os cristãos

| 10/05/2010 - 00:00


A organização Christian Solidarity Worldwide (CSW) publicou um documento que destaca o padrão de violência contra cristãos na Índia, e pede que a cultura de impunidade seja revertida para garantir que os perturbadores e criminosos saibam que a justiça será feita.

O documento, chamado “Apoio a minorias, violência anticristã e a lei”, tem o foco no resultado da enorme violência em Orissa em 2008, e os “ataques frequentes” contra os cristãos de seis estados, normalmente feitos em grupo. O relatório também argumenta que o governo deveria lidar com essa questão especificamente.

A organização CSW pede a recusa das leis anticonversão que estão em vigor em cinco estados, afirmando que elas são desnecessárias, contrárias à lei internacional, e têm um efeito prejudicial sobre as minorias religiosas. Além disso, eles também pediram para que a penalização dos dalits que mudam de religião seja revista.

John Dayal, membro do Conselho de Integração Nacional do governo indiano (NIC) e Secretário Geral de um dos parceiros da CSW, a All India Christian Council (aicc), afirmou: “A Índia tem uma boa tradição de diversidade religiosa, mas está manchada por causa da violência. O governo precisa fazer mais para resolver os problemas básicos, e o atual projeto de lei não ajudará as vítimas em nada”.

Shabnam Hashmi, membro do NIC e diretor do grupo ANHAD, disse: “Os constantes ataques contra cristãos e muçulmanos em diversos estados requerem atenção urgente e ações afirmativas do governo para acabar com a violência contra essas comunidades”.

Tina Lambert, uma das diretoras da CSW, afirma: “A Índia possui instituições democráticas fortes, e tem um excelente grupo de legislação protegendo os Direitos Humanos. No entanto, há muito mais para ser feito”.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE