Cristão etíope é agredido por deixar o islã

A International Christian Concern (ICC) tem conhecimento de que em 13 de setembro, três muçulmanos atacaram um cristão em Dufti, na Etiópia.

Os muçulmanos levaram à força Muhammad Ali, um ex-muçulmano, a uma mesquita na suspeita de que ele havia deixado o Islã. Eles pediram a Ali que entrasse e orasse na mesquita. Quando ele se recusou, foi esfaqueado no quadril e imediatamente levado para o Hospital Dufti Referral.

A polícia prendeu dois dos suspeitos em 21 de setembro e um continua foragido.

Um líder cristão, que prefere permanecer anônimo, disse a ICC: "Nós sabemos que o assaltante detido em breve será liberto. Um dos muçulmanos presos até ameaçou me atacar, uma vez que estivesse solto. Temos de sofrer por amor do evangelho. O que nós precisamos é que vocês orem por nós."

Dufti é uma cidade localizada no Estado Regional de Afar, Etiópia. De acordo com o Censo Nacional de 2007, 95,3% da população de Afar é muçulmana.

O gerente regional da ICC África, Jonathan Racho, declara: "A Constituição etíope garante a liberdade de religião, mas infelizmente os cristãos que vivem em regiões dominadas por muçulmanos sofrem perseguição nas mãos dos radicais. A única maneira de combater essa violação da liberdade religiosa hediondo é levar os autores dos ataques à justiça. Instamos os funcionários etíopes a punir corretamente todos os responsáveis pelo ataque de Ali.”