Cristãos colombianos da Casa Visão Ágape: Pedro Jaimes

Pedro Enel Jaimes Ayala  tem um irmão, o Nelson, e juntos vieram de La Esmeralda - departamento de Arauca, um lugar com problemas de ordem pública, devido à presença de grupos armados ilegais como guerrilheiros e paramilitares.

Cinco anos atrás começou uma das situações familiares que mais os têm afetado: no mesmo dia que seus pais se casaram, apenas quatro horas depois, seu pai morreu de câncer no fígado.

Ele não era cristão e seu relacionamento com os dois filhos de sua esposa não era bom, porque ele os recriminavam o tempo todo, especialmente quando lhes dava alguma coisa (roupas, alimentos, etc.). Mas em seu último momento ele aceitou a Cristo como seu Salvador, foi batizado, pediu perdão aos seus enteados e se casou, como foi mencionado antes, e depois ele morreu.

Desde aquele momento Maribel, a mãe das crianças, começou a sofrer distúrbios mentais. Todo ano, por períodos de três ou quatro meses não conseguia dormir, saia para a rua no meio da noite cantando e gritando, gerando medo em seus vizinhos. Para as crianças em especial, foi muito difícil ver a mãe naquelas condições além da perda de seu pai.

Nelson e Pedro tiveram de trabalhar vendendo frutas, uma vez que a venda não contém o suficiente para suas necessidades,  e fizeram tudo o que podiam para ajudar a mãe e seu sustento.

Pedro trabalhou durante algum tempo colhendo coca e Nelson pedia dinheiro de casa em casa para terem os recursos para pagar o médico para sua mãe. Ele viajou para Saravena (localizado quase uma hora a partir de La Esmeralda, onde viviam) e anunciou caso de sua mãe através da estação de rádio. Lá ele conseguiu o dinheiro para levá-la ao Cúcuta, uma clínica de saúde mental onde ela começou a se recuperar de sua doença. Desde então, passados dois anos, porém, seus filhos têm medo de que ela tenha uma recaída já que eles lembram os episódios com dor.

Adicionado a isso, há três anos um dos seus irmãos, Jesús Arbey Ayala Franco,
desapareceu quando tinha 14 anos. Algumas pessoas comentam que a guerrilha o levou e desde aquele momento eles não ouviram falar dele, exceto os boatos que dizem que ele morreu em um combate, ou de que ele ainda está vivo. A única verdade é que ele não voltou e ninguém mais o viu.

O boato nas ruas de La Esmeralda são de que houve um recrutamento de crianças com mais de dez anos pela guerrilha, a fim de serem preparados em caso de algo acontecer. Vendo a situação, os dois garotos foram tomados de medo de serem recrutados e não terem a oportunidade de voltarem à igreja.

A vida não tem sido fácil para eles. Deus os tem guardado de cairem nas mãos de guerrilheiros. São crianças muito especiais, que amam sua família, o amor do Senhor e veem a Casa Abrigo como o lugar que Deus os levou para abençoá-los e para abençoar a sua família..

Clique aqui e encoraje-o enviando uma carta!