Os cristãos etíopes enfrentam ultimato

Mais cristãos na Etiópia são vítimas de perseguição de muçulmanos e segundo Jonathan Racho da International Christian Concern (ICC, sigla em inglês), os incidentes seguem um padrão familiar.

"Os cristãos da cidade etíope de Besheno... são assediados e abusados fisicamente depois que muçulmanos afixaram avisos nas portas de casas de cristãos, advertindo-os a se converter ao islã, deixar a cidade, ou encarar a morte", segundo o porta-voz da ICC.

Ele diz que os cristãos ainda sofrem repetidos ataques na cidade, e que "três líderes cristãos foram obrigados a fugirem da cidade por causa da pressão islâmica. Além disso, outros dois cristãos foram forçados a se converter ao islã. Estamos muito desapontados que as autoridades etíopes não prestam atenção à situação dos cristãos na cidade", lamenta Racho.

Ele explica que se um cristão morre em Besheno, ele ou ela devem ser transportados por 20 milhas (32 km) até uma cidade que permita o sepultamento. Porém as autoridades locais são muçulmanas e não se importam com o sofrimento dos cristãos, e por isso Racho incentiva o Corpo de Cristo em todo o mundo a falarem em nome da Igreja Perseguida.

Pedidos de oração