Extremistas islâmicos matam cinco no norte da Nigéria

Uma igreja no norte da Nigéria foi alvo de militantes islâmicos, que mataram cinco membros da congregação, localizada em Maiduguri.

Dois pedestres morreram quando uma bomba lançada contra a Igreja de St. Patrick caiu na rua e explodiu. Vários explosivos foram jogados em delegacias de polícia em Gwange e Dandal.

Os homens que participaram do ataque possivelmente são membros do Boko Haram, uma seita radical islâmica que quer a implementação de uma lei estritamente islâmica na Nigéria. Desde 2009, o grupo tem usado de violência e ataques mortais contra as instituições do Estado e também religiosas, para ter maior exposição e alcançar seu objetivo.

Na segunda-feira, um membro do Boko Haram matou um líder cristão que tinha sido alvo de críticas fazia pouco tempo. O grupo ainda reivindica a responsabilidade pelos ataques que mataram 16 pessoas na sequência da posse presidencial do presidente cristão Goodluck Jonathan.

Os alvos principais incluem os líderes comunitários, mas também muitos cristãos. O Boko Haram é suspeito de estar por trás dos ataques contra igrejas em Maiduguri, no último Natal. Entre as vítimas, incluem o pastor da Igreja Batista da Vitória e dois homens que estavam ensaiando para servir no coral da Igreja.