Ore pela Tunísia no Dia da Independência

Cristãos do país precisam de discipulado e resiliência para viver a nova fé

Hoje comemora-se 63 anos de independência da Tunísia. O país é um dos mais desenvolvidos da África quando analisa-se desenvolvimento socioeconômico, liberdade civil e governança democrática. Porém, por ter maioria muçulmana há uma forte pressão social sobre os cristãos estrangeiros que insistem em evangelizar outros e sobre os ex-muçulmanos que escolhem seguir a Jesus. Por isso, os tunisianos são obrigados a viver como cristãos secretos, e as igrejas conhecidas são frequentadas por pessoas de outras nacionalidades.

Na Lista Mundial da Perseguição 2021, o país ficou em 26º lugar. A mudança em relação ao ano anterior, quando ocupava o 34º lugar, aconteceu pelo crescimento da violência. Os seguidores de Jesus no país lidam com a opressão islâmica e a opressão do clã, enfrentando perseguição vinda de líderes não cristãos, amigos, familiares, oficiais do governo, grupos religiosos violentos e líderes de grupos étnicos. 

De acordo com um parceiro da Portas Abertas, que visitou o país em 2016, o cristianismo é visto como uma religião estrangeira e está ligado aos hábitos da cultura norte-americana mostrados em filmes e séries. Logo, é enfatizado que alguém que se torna cristão passa a beber, fumar e ter uma vida sexual ativa e com vários parceiros. Isso aumenta a intolerância religiosa quando um muçulmano decide seguir a Jesus. “Todos os cristãos que conheci eram secretos. Não podiam assumir a fé por causa da represália dos familiares mais próximos. A igreja era muito jovem e pequena, com pessoas na faixa de 20 anos”, compartilhou.

Confira os principais pedidos de oração abaixo e ore pela Tunísia.