Pastor e família são agredidos por plantar igreja em Bangladesh

O pastor Fazor Ali doou parte de seu terreno para construir a igreja

| 10/06/2022 - 08:00

Parceiros da Portas Abertas visitaram as vítimas no hospital e enviaram ajuda financeira para a família

Parceiros da Portas Abertas visitaram as vítimas no hospital e enviaram ajuda financeira para a família


Cristãos de origem muçulmana vivem sob ameaça de perseguição e correm riscos todos os dias em Bangladesh. O pastor Fazor Ali é um deles. Ele já tinha sido atacado em abril deste ano. A polícia tentou prender os agressores, mas não teve sucesso. Recentemente, ele e a família enfrentaram as consequências da intolerância religiosa do mesmo grupo. 


Conhecido na região onde vive por compartilhar o evangelho, o pastor Fazor doou uma porção da própria terra para a construção de uma igreja na vila onde morava. Vizinhos muçulmanos tinham interesse nesse terreno e ficaram furiosos quando descobriram que ele seria usado para construir uma igreja cristã. Por isso, na manhã de 3 de junho, enquanto a família do pastor ainda dormia, os vizinhos tomaram o terreno e começaram a construir uma cerca em torno dele.
 


“Estamos vigiando vocês”
 


Não demorou muito para Fazor e sua família entenderem o que estava acontecendo e tentarem impedir. Um grupo de 40 homens, muitos não eram da vila, ficou com raiva e começou a agredir o pastor e sua família. Eram criminosos procurados, alguns acusados de assassinato, e não tinham medo de matar.
 


Em consequência do ataque, quatro membros da família do pastor Fazor tiveram ferimentos graves e foram levados às pressas para o hospital. Os infratores ameaçaram as vítimas, manipulando-as para não denunciarem o incidente à polícia. “Estamos vigiando vocês. Se vocês nos denunciarem, nós saberemos”, disse um dos criminosos. Eles começaram a espiar a família, garantindo que não chegasse perto da delegacia.
 


Outras sete famílias cristãs de origem muçulmana que moram com o pastor Fazor foram ameaçadas pelo mesmo grupo. Elas estão com medo de um novo ataque.
 


Parceiros da Portas Abertas em Bangladesh estão orando pela família e pelos feridos. Um deles relatou: “Nós enviamos apoio financeiro para o tratamento das vítimas e nossos parceiros no campo as visitaram no hospital”.
 


Ajuda para quem mais precisa 


Outros cristãos vivem histórias similares à do pastor Fazor por seguir a Jesus. Sua doação ajuda a manter projetos da Portas Abertas nos países da Lista Mundial da Perseguição, transformando a realidade da Igreja Perseguida e cooperando com a obra de Deus nesses locais.
Doe! 


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE