Protestos contra o presidente Joseph Kabila

Seis pessoas foram mortas e mais de 50 ficaram feridas em manifestações no último domingo

| 24/01/2018 - 00:00

A população quer um governo mais democrático (Foto representativa por razões de segurança)

A população quer um governo mais democrático (Foto representativa por razões de segurança)


No último domingo (21), seis pessoas morreram e mais de 50 ficaram feridas em protestos contra o governo na capital da República Democrática do Congo, Kinshasa. A manifestação foi convocada por uma organização católica (CLC), mas seguida por muitos cristãos protestantes. A população pede que o presidente Joseph Kabila deixe o poder. Como a constituição permite apenas dois mandatos presidenciais de cinco anos cada, Kabila deveria ter saído em 2016, mas o governo adiou as eleições.

Assim, em 31 de dezembro de 2016, a Igreja Católica e outros líderes religiosos assinaram um acordo concedendo ao presidente mais um ano no poder. Após esse período, que expirou em 31 de dezembro de 2017, ele deveria deixar o poder pacificamente e permitir eleições democráticas. Mas em novembro, o governo adiou as eleições novamente.  

Por causa disso, a CLC convocou manifestação em nível nacional para o último dia 31 de dezembro. Muitos cristãos se uniram aos protestos e pelo menos 12 pessoas foram mortas nesse dia. Depois convocaram novos protestos para o último dia 21. A polícia se espalhou por todo país mesmo antes dos cultos e missas de domingo de manhã. Quando os cristãos deixavam a igreja, prontos para protestar, com Bíblias e folhas de palmeiras nas mãos, foram proibidos de sair. Gás lacrimogêneo foi lançado em algumas das grandes igrejas na capital.

A primeira morte aconteceu quando a polícia atirou com munição real contra a entrada de uma grande igreja, impedindo os fiéis de sair e começar a manifestação. Outros manifestantes foram dispersados e detidos pela polícia. Mas isso não impediu que os líderes da igreja deixassem seus pedidos para que Kabila deixe o poder, permita que um presidente interino assuma, e realize eleições a nível nacional o quanto antes.

Pedidos de oração:

  • Ore pela paz no Congo e para que os líderes da igreja tenham sabedoria para usar a influência que têm sobre a população.
  • Interceda pelos cristãos perseguidos, para que em meio à instabilidade política, tenham graça e visão do Senhor para saber como agir.
  • Clame para que o presidente Joseph Kabila aja conforme a justiça.

Leia também:

Perseguição aos cristãos congoleses

Cristãos enfrentam punições


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE