Senador Paulo Paim envia requerimento ao presidente do Senado em favor de pastor iraniano

Autoridades brasileiras buscam intervir na questão dos direitos humanos do Irã, uma vez que o Brasil mantém ótimas relações diplomáticas com o país

A mobilização teve início com o apelo feito, em plenário, pelo senador Marcela Crivella (PRB-RJ) na quinta-feira, dia 29 de setembro. Ele discorreu sobre o caso do pastor iraniano, ameaçado de morte por enforcamento simplesmente porque ele não aceitou negar sua fé em Jesus Cristo.

Nessa mesma data, o senador Paim comprometeu-se a entregar um documento ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), para que fosse enviado à Embaixada do Irã, pedindo pela vida de Yousef Nadarkhani. Os senadores Ana Amélia (PP-RS), Aloysio Nunes (PSDB-SP), Jayme Campos (DEM-MT) e Geovani Borges (PMDB-AP) também se solidarizaram com a causa apresentada por Crivella.

A Portas Abertas Brasil esteve em contato com os assessores do senador Paim todo esses dias questionando sobre o envio do documento. Ontem, finalmente, o requerimento seguiu para Sarney. Leia o requerimento aqui.

Continuamos em busca das autoridades brasileiras para intervir na questão dos direitos humanos do Irã, uma vez que o Brasil mantém ótimas relações diplomáticas com o presidente Mahmoud Ahmadinejad.

Mobilização mundial

De acordo com a agência de ajuda humanitária Christian Solidarity Worldwide (CSW), mais de 50.000 pessoas já enviaram emails para as embaixadas iranianas ao redor do mundo. 

Aqui no Brasil, em vez de participarmos desses abaixo-assinados internacionais, escolhemos pressionar as autoridades brasileiras porque consideramos que o Brasil tem mais influência e voz ativa junto ao governo do Irã do que qualquer outro país do ocidente.