Violência física para punir homem cristão e sexual para mulher cristã

Entenda como o gênero interfere no tipo de violência que os cristãos enfrentam nos países da Lista Mundial da Perseguição 2022

| 23/06/2020 - 16:30

A perseguição pode se manifestar de diferentes maneiras para mulheres e homens cristãos

A perseguição pode se manifestar de diferentes maneiras para mulheres e homens cristãos


Apesar dos motivos serem os mesmos, a perseguição religiosa pode ser realizada de maneira diferente quando o assunto envolve homens e mulheres. Os papéis que os indivíduos dos gêneros masculino e feminino têm na sociedade definirão a forma como eles serão hostilizados. Para um homem cristão, por exemplo, o alvo é impedir que ele cumpra o papel de chefe do lar. Sem uma renda financeira, ele não poderá prover o sustento dos demais integrantes da família, impossibilitando, assim, a sobrevivência. Esse processo envolve também a agressão física em 80% dos casos e até a prisão, em 64%, garantem os dados colhidos pela Portas Abertas entre 1/10/2020 e 30/09/2021. 

Mas quando as cristãs são perseguidas, as ações envolvem primariamente as violência sexual e casamento forçado, já que muito do valor social delas está na castidade. Os direitos à vida, liberdade e respeito são violados pelos próprios membros da família como pais, irmãos e maridos, pessoas das quais elas dependem para serem sustentadas tanto física, emocional e socialmente. Entre os pontos de pressão às mulheres estão presentes violência sexual, violência psicológica, sequestros e perda da custódia dos filhos.

Exemplo de perseguição masculina na Índia


A força física dos homens é uma qualidade valorizada na cultura indiana. Por isso, os cristãos locais estão sujeitos à violência como maneira de desonra. Logo, o espancamento é uma prática comum. O caso da morte do adolescente de 14 anos, Sombaru Madkami, revela a desproporção de força empregada pelos radicais hindus para conter o avanço do evangelho no país em 10º lugar na LMP 2022. Outra maneira utilizada para enfraquecer os cristãos é a exclusão social, por meio de boicote da família e comunidade. Como aconteceu com cristãos que tiveram o pedido de ajuda humanitária recusada durante a o isolamento para a contenção da COVID-19.

Enquanto os homens enfrentam a hostilidade na esfera pública, as mulheres sofrem a violência dentro da vida privada, o que torna os crimes mais ocultos e passíveis de impunidade. Espera-se que elas operem invisivelmente na esfera pública, caso contrário se tornam provocadoras da violência sexual. Em 90% dos 50 países da LMP 2022 os crimes sexuais afetam as cristãs.

Caso de perseguição feminina na Nigéria


As meninas e mulheres cristãs nigerianas são como despojos para grupos extremistas como o Boko Haram. Elas são capturadas, abusadas sexualmente e levadas para servirem como escravas sexuais ou esposas de um radical. Isso acontece também com mulheres casadas, como Charity. A jovem casada e mãe de um recém-nascido foi sequestrada e viveu por três anos como mulher de um rebelde, com quem teve uma filha. Ao ser libertada, voltou para o antigo lar e enfrentou o preconceito e agressões do marido cristão e dos vizinhos no país em 7º lugar na LMP 2022. 


Os homens e mulheres seguidores de Cristo em países onde há perseguição religiosa podem enfrentar lutas em diferentes esferas. Porém, ambos precisam de cura para continuar a viver o propósito pelo qual foram chamados por Deus. A Portas Abertas trabalha de diferentes maneiras para fortalecer os cristãos que permanecem onde há forte oposição ao evangelho. Conheça os nossos projetos, ore e contribua financeiramente para que o encorajamento chegue até quem necessita de esperança.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco