70

El Salvador

SV
El Salvador
  • Tipo de Perseguição: Corrupção e crime organizado
  • Capital: San Salvador
  • Região: América Latina
  • Líder: Nayib Armando Bukele Ortez
  • Governo: República presidencialista
  • Religião: Cristianismo
  • Idioma: Espanhol, nawat
  • Pontuação: 45


POPULAÇÃO
6,5 MILHÕES


POPULAÇÃO CRISTÃ
6,2 MILHÕES

Como é a perseguição aos cristãos em El Salvador? 

Cristãos em algumas áreas do país são forçados a se submeter às regras impostas por gangues criminosas que controlam os territórios. Nesse contexto, cristãos que conduzem pregações ou outras atividades que ameacem os interesses criminosos provavelmente enfrentarão represálias, como ameaças de morte, extorsão e até mesmo assassinato. Certas autoridades em conluio com as gangues contribuem para a impunidade dessas ações. Também, grupos de pressão ideológica são muitas vezes agressivamente opostos a visões bíblicas expressas publicamente, principalmente no que diz respeito a vida a partir da concepção, casamento, família e ética sexual. 

“Eu sou um cristão, não um gangster mais. Deus sabe que um gangster pode mudar, mas as pessoas por aqui não acreditam, elas não são cristãs.”

CARLOS, CRISTÃO E EX-INTEGRANTE DE UMA GANGUE DE EL SALVADOR

O que mudou este ano? 

Embora houve menos incidentes violentos registrados, a pressão aos cristãos aumentou substancialmente, principalmente devido à presença ativa de grupos criminosos na maior parte das áreas do país. Como resultado, há grandes espaços nas políticas públicas, que são mais difíceis de preencher quando gangues agem em conluio com oficiais do governo em diferentes níveis. Cristãos se encontram à mercê de líderes criminosos, principalmente quando realizam trabalho social entre os jovens e antigos membros de gangues. O governo também rejeita muitas das críticas feitas pelas igrejas e líderes cristãos quando denunciam a falta de respeito pelo Estado de direito e pelas práticas democráticas. 

Quem persegue os cristãos em El Salvador? 

O termo “tipo de perseguição” é usado para descrever diferentes situações que causam hostilidade contra cristãos. O tipo de perseguição aos cristãos em El Salvador é: corrupção e crime organizado. 

Já as “fontes de perseguição” são os condutores/executores das hostilidades, violentas ou não violentas, contra os cristãos. Geralmente são grupos menores (radicais) dentro do grupo mais amplo de adeptos de uma determinada visão de mundo. As fontes de perseguição aos cristãos em El Salvador são: redes criminosas e oficiais do governo. 

Quem é mais vulnerável à perseguição em El Salvador? 

As regiões em que a corrupção e o crime organizado estão frequentemente em ação afetando os cristãos são Ahuachapan, Cuscatlan, La Libertad, La Unión, Morazan, San Miguel, San Salvador, Santa Ana e Sonsonateand Usulutan. 

Como as mulheres são perseguidas em El Salvador? 

A perseguição religiosa com base em gênero em El Salvador deve ser entendida dentro de um contexto de contínuos ciclos de violência, insegurança e atividade criminosa. Dentro desse contexto de violência e impunidade para criminosos, mulheres e meninas cristãs temem uma ampla gama de pressão e violência, mais notavelmente sendo forçadas a relacionamentos com membros de gangues ou violentadas sexualmente. Se recusar não é uma opção e pode resultar nelas sendo mortas, ou membros da família sendo ameaçados. Filhas de pastores que trabalham ativamente em territórios de gangues são alvos principais, tanto pela percepção de pureza e suposta obediência, quanto como uma forma de intimidar os pais da vítima e interromper as atividades pastorais no território da gangue. A violência sexual como uma arma para punir garotas, suas famílias e a sociedade em geral é muito comum em todo o país. 

Além da pressão descrita acima, mulheres e meninas continuam sofrendo com estereótipos e preconceitos sobre o papel da mulher na família e na sociedade. Mulheres demoram para relatar abuso doméstico, já que as autoridades consideram tais questões como problemas matrimoniais, ao invés de uma questão de polícia. De acordo com especialistas do país, também espera-se que as mulheres ajam como cuidadoras dos filhos de membros de gangues que estão na prisão. Elas são, entretanto, impedidas de criá-los na fé cristã; de outra forma, enfrentariam represálias dos pais biológicos. 

Como os homens são perseguidos em El Salvador? 

Meninos adolescentes são principalmente vulneráveis ao recrutamento forçado para gangues. Dentro desses grupos, eles são forçados a participar da iniciação à prática de crimes, traficar drogas e extorquir vítimas. Caso se recusem, colocam sua vida – assim como de todos os membros de sua família — em risco. Além de serem forçados a entrar em gangues, cristãos são comumente vítimas de violência de gangues. Eles são alvo especial de assédio, principalmente se conduzirem atividades que coloquem em risco o poder e a influência das gangues em certas áreas. A perseguição inclui de maneira mais comum ameaças, extorsão, agressões e mortes. 

Pastores e líderes de igrejas, geralmente homens, são principalmente vulneráveis. Como muitos líderes de igrejas usaram suas posições para falar ativamente contra as atividades de gangues, ou para ministrarem para membros da gangue, enfrentaram ameaças e represálias. No período de pesquisa da Lista Mundial da Perseguição 2022, diversos líderes foram multados, assediados, ameaçados e assassinados. Líderes de igrejas também foram detidos arbitrariamente e questionados por agentes do Estado devido ao seu trabalho ministerial com antigos e atuais membros de gangues. 

Como posso ajudar os cristãos perseguidos em El Salvador?  

Além de orar por eles, você pode ajudar de forma prática doando para os projetos da Portas Abertas de apoio aos cristãos perseguidos. Doando para esta campanha, sua ajuda vai para locais onde a necessidade é mais urgente. 

Pedidos de oração de El Salvador 

  • Interceda pelos líderes cristãos que se posicionam diante da corrupção no país, sendo ameaçados de morte. Peça a Deus por proteção. 
  • Clame a Deus pelos familiares de líderes cristãos mortos por pregar o evangelho em áreas dominadas por gangues criminosas. 
  • Algumas propriedades que seriam usadas por igrejas para a construção de centros de refugiados e de reabilitação de drogados foram invadidas por gangues criminosas. Peça ao Senhor que as terras sejam devolvidas às igrejas e que o trabalho possa ser realizado. 

Antes da chegada dos espanhóis no território salvadorenho no século 16, ele era ocupado por um complexo de povos indígenas. Do final dos anos 1970 ao começo dos anos 1990, El Salvador foi foco da atenção internacional, devido a sua guerra civil e ao envolvimento externo em seus conflitos internos. A democracia e a paz foram consolidadas com o fim da guerra civil, em 1992.  

Desde então, ocorreram cinco eleições presidenciais consecutivas com transições pacíficas de poder. Entretanto, a crise causada pelo alto nível de corrupção levou os dois partidos, a Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMLN) e a Aliança Republicana Nacionalista (ARENA), a perderem apoio. Isso permitiu o surgimento de um partido novo e independente de direita, a Grande Aliança para Unidade Nacional (GANA), liderado por Nayin Bukele, que assumiu o cargo de presidente após receber aproximadamente 54% dos votos em 2019. Eleições legislativas ocorreram em 28 de fevereiro de 2021 e deu ao Novas Ideias, partido recém-formado pelo presidente, a maioria dos assentos no Congresso. 

El Salvador, como Guatemala e Honduras, trabalha juntamente com os Estados Unidos como uma parte importante da Operação Escudo Regional (ORS) para combater o crime organizado transnacional. Violência e insegurança causadas por gangues continuam sendo um dos maiores problemas no país. Em fevereiro de 2021, os Estados Unidos deram o “primeiro passo para estabelecer uma cooperativa, com abordagem mutuamente respeitosa para gerenciar a migração pela região”, acabando com o antigo Acordo de Cooperação de Asilo feito com os governos de El Salvador, Guatemala e Honduras. 

Durante a pandemia da COVID-19, as tempestades tropicais Amanda e Cristobal atingiram El Salvador em maio e junho de 2020. Um estado de emergência nacional foi emitido devido à severidade das tempestades, o que danificou as casas de quase 30 mil famílias e causou 154 deslizamentos de terra, foram declarados 27 mortos.  

Em setembro de 2020, o Supremo Tribunal da Espanha sentenciou o antigo coronel salvadorenho, Inocente Orlando Montano, a um total de 133 anos de prisão por assassinar, entre outros, cinco padres espanhóis na Central American University em El Salvador em 1989, durante a guerra civil entre 1979 e 1992. 

De acordo com a Oxford Reference, o cristianismo chegou a El Salvador com os espanhóis que conquistaram os índios pipil nos anos 1520. O país era parte da Capitania Geral da Guatemala até 1821, uma constituinte da Confederação Centro-Americana (1823-1839), e se tornou um estado independente em 1839. A diocese de San Salvador foi reconhecida pelo papado como independente da Guatemala em 1842. O primeiro padre católico romano foi Francisco Hernández, que chegou ao país em 1525. Depois um leigo, Pedro Ximenez, se tornou muito conhecido pelo trabalho missionário entre os índios.  

As primeiras leis anticlericais foram estabelecidas pelo governo liberal de El Salvador, em 1824. Em 1871, o governo proclamou liberdade de pensamento e religião, removendo a administração de cemitérios do clérigo, legalizando casamentos civis e formando educação não baseada na igreja.  

O protestantismo chegou a El Salvador nos anos 1880, a maioria presbiterianos dos Estados Unidos. Adventistas do Sétimo Dia começaram o trabalho em 1915. 

El Salvador é um país de maioria cristã e principalmente católica. A Constituição reconhece a Igreja Católica como uma entidade legal. Outras igrejas também podem ganhar reconhecimento legal. O livre exercício de todas as religiões é garantido, sem limites, além daqueles definidos pela moralidade e ordem pública. Da mesma forma, ela declara que nenhum ministro de qualquer organização religiosa, membro das Forças Armadas em serviço ativo e da polícia civil nacional pode pertencer a partidos políticos ou concorrer a posições públicas por voto popular. Também não pode realizar propaganda política de qualquer forma. A Igreja Católica Romana tem sido privilegiada historicamente e isso tem causado tensão com outras comunidades cristãs, o que tem às vezes levado a acusações de um tratamento desigual.  

O Estudo de Opinião Pública de El Salvador #110, conduzido pelo CID Gallup, apontou que em uma única geração a Igreja Católica perdeu 17% de seus fiéis e tem se tornado a segunda religião em El Salvador. Evangélicos são agora a religião preferida dos salvadorenhos. Todo dia 31 de outubro, o Dia da Reforma Protestante é comemorado. Além disso, um projeto de lei foi proposto para reformar a Constituição, para reconhecer legalmente a Igreja Cristã Evangélica de El Salvador e outras denominações não católicas, entretanto, o projeto não avançou. Muitas vezes, alguns oficiais e grupos seculares alegam que o reconhecimento legal de qualquer grupo religioso na Constituição contradiz a natureza secular do Estado.  

Frente aos últimos eventos políticos, líderes da igreja se pronunciaram rejeitando o uso das Forças Armadas e da polícia nacional pelo presidente dentro do prédio da Assembleia Legislativa. Também, alguns líderes de igrejas se pronunciaram em apoio a agricultores e famílias afetadas pela crescente militarização do governo na região da fronteira. Além disso, líderes de igrejas criticaram a falta de vontade por parte das autoridades em acabar com a tensão existente entre o legislativo e o executivo e expressaram sua desaprovação quanto a forma como magistrados da Suprema Corte e o procurador-geral foram dispensados. Essas preocupações são apresentadas pela Igreja Católica e outras denominações cristãs, como a Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas (WCRC, da sigla em inglês) e seu conselho regional, e a Aliança das Igrejas Presbiterianas e Reformadas da América Latina (AIPRAL).  

Em um contexto dominado pela insegurança geral e a violência causadas pelas gangues (às vezes operada em cumplicidade com as autoridades), muitos olham para o trabalho das igrejas em proteger pessoas jovens da influência de grupos criminosos. Historicamente, a resposta do Estado ao problema das gangues tem sido uma política de punho de ferro (incluindo a atual administração). Em contraste, principalmente grupos evangélicos têm trabalhado no nível popular nas comunidades para ajudar jovens a evitarem recrutamento e qualquer um que deseje deixar a vida criminosa.  

Curiosamente, muitos membros de gangues se consideram religiosos ou, pelo menos, respeitam a fé cristã como algo aceitável. As gangues permitem que as atividades das igrejas, principalmente de grupos pentecostais, ocorram livremente, geralmente envolvendo pessoas com quem tenham afinidade e algum tipo de arranjo econômico. Há também casos em que líderes de gangues pressionam membros da comunidade local, e os próprios membros da gangue, a se unirem a igrejas evangélicas de suas escolhas. Toda essa dinâmica influencia o aumento nos números de grupos pentecostais em todo o país. Entretanto, tais igrejas estão sujeitas às regras das gangues, o que ficou mais evidente durante a crise da COVID-19: líderes de igrejas têm que respeitar a agenda das gangues, ceder suas instalações para atividades de várias gangues e solicitar autorização para viajar para outras áreas; líderes cristãos não podem fazer trabalho evangelístico livremente, eles não fazem visita domiciliar ou conduzem atividades que afetem diretamente o processo de recrutamento de jovens. O grau de intimidação, pressão ou violência contra uma igreja em particular depende de quão complacente ela é. Alguns pastores são conhecidos por enfrentarem extorsão e assassinatos.  

No caso de antigos membros, embora eles não deixem de ser membros das gangues, eles têm permissão para se “acalmar” e não são requisitados para as atividades dos grupos criminosos enquanto adotarem a fé evangélica de forma aprovada. Entretanto, apesar da simpatia das gangues com certas igrejas, há também casos em que os grupos criminosos não permitem ninguém de deixar o grupo. Isso é para contrariar a política mais agressiva do governo que deseja erradicar a presença do crime organizado: as gangues precisam do máximo de membros possíveis. Devido às duras políticas anticrime do governo, algumas igrejas podem ser vistas como coniventes com as gangues ou perigosas por fazer trabalho pastoral com membros das gangues.  

Como na maioria dos países latino-americanos, há grupos de pressão ideológica, como LGBTI e grupos feministas radicais, buscando influenciar a sociedade por meio das redes sociais e pressionando partidos políticos. Seu desejo é erradicar gradualmente a presença de todos os cristãos da esfera pública. Atualmente, suas demandas nos campos da saúde e da educação não foram aceitas sem críticas. 

Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE