A Igreja Perseguida prevalece na Península Arábica

Conheça um pouco mais do que Deus tem feito em um dos maiores redutos do islamismo, a Península Arábica

| 12/04/2019 - 16:30

Ore pelos cristãos da Península Arábica, que têm que manter a fé em segredo

Ore pelos cristãos da Península Arábica, que têm que manter a fé em segredo


Os muçulmanos acreditam que o profeta Maomé disse que somente uma religião poderia existir na Península Arábica; assim, todas as igrejas na região devem ser destruídas. No entanto, nem mesmo os regimes mais rigorosos nem a maior pressão da sociedade podem impedir o Espírito Santo de se mover nos corações e na vida das pessoas. Espalhado por toda a Península Arábica (Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Omã, Bahrein, Kuwait, Catar e Iêmen) existe um crescente número de pequenos e informais grupos de cristãos.

Várias fontes indicam que no Kuwait o número de nacionais que se convertem a Jesus está crescendo rapidamente. Um obreiro ativo entre cristãos locais disse que até mesmo policiais, que haviam sido destacados para manter as atividades religiosas (de outras religiões que não o islamismo) sob controle, começaram a seguir a Cristo em segredo. Vários obreiros dizem que a pressão é moderada no Kuwait, desde que os cristãos não chamem a atenção em público.

De certa forma, a impressão é de que Omã é um país ainda mais religioso. Em muitas famílias muçulmanas, possessão demoníaca é algo comum e até mesmo aceitável. Os cristãos são frequentemente confrontados com pessoas que parecem possessas de alguma forma. No entanto, é no meio dessa escuridão que a luz brilha mais forte. Um cristão, que mora e trabalha em Omã, testemunha que 80% dos cristãos omanis vieram a Cristo de forma sobrenatural, através de sonhos e visões.

No Iêmen, seis de cada dez pessoas não têm comida suficiente.  Assim como uma ameaça para o corpo físico dos iemenitas, a guerra também é a maior ameaça ao corpo de Cristo no país. Apesar do cessar-fogo assinado entre o governo e os rebeldes houthis (as duas forças que lutam pelo poder no país), na Suécia, em dezembro de 2018, não parece haver muito progresso na situação real.

O país está imerso na maior crise humanitária do planeta e em guerra desde 2015. Sete milhões de pessoas estão à beira da fome e um surto de cólera causou mais de duas mil mortes, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). Diante dessa situação, quase todos os estrangeiros saíram do país, deixando a pequena parte do corpo de Cristo sem um referencial para apegar-se. Apesar disso, a boa notícia é que novos líderes estão surgindo e a igreja é mais missionária do que nunca. Cada vez mais iemenitas aceitam Jesus e quase toda semana há relatos de novos convertidos se batizando. Muitos deles pediram para receber uma Bíblia.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE