Cristãos podem ser luz entre indígenas no México

Seguidores de Jesus conseguem permanecer na comunidade

Portas Abertas • 16 set 2023


Cristãos indígenas são expulsos de suas comunidades por não terem a mesma religião dos demais (foto representativa)

Cristãos indígenas são expulsos de suas comunidades por não terem a mesma religião dos demais (foto representativa)

Hoje é o Dia da Independência do México do domínio da Espanha. No entanto, a liberdade no país não é para todos. Cristãos de origem indígena, que decidem abandonar as crenças dos antepassados e seguir a Jesus, são ameaçados, agredidos, expulsos de suas comunidades, presos e até mortos.

Lorena* e Juan Gonzalez* enfrentam a hostilidade da comunidade desde quando se converteram. Na época, a mexicana estava doente e nenhum curandeiro ou médico conseguiu curá-la. Mas, em outubro de 2022, o casal procurou o cristão Bernardo*, da comunidade de San Mateo* e decidiu seguir a Jesus juntos.

Após três meses da conversão, Lorena estava completamente curada e junto com o esposo e os cinco filhos agradeceu a Deus pelo milagre. A família decidiu fazer um culto de ação de graças pela cura de Lorena e convidou os cristãos que conheciam e os vizinhos. No entanto, foram ameaçados por fazer uma programação fora da igreja local.  

Proibidos de ser diferente

O especialista em ciências políticas e sociais de comunidades indígenas, Héctor Gómez Peralta, explica: “Para os povos indígenas do coração de Los Altos de Chiapas, a comunidade é uma entidade única ou, para usar seus próprios termos, uma única alma. Ser uma única alma obriga-os a ter um pensamento único, incapaz de aceitar as diferenças internas”.

Em resposta, as autoridades locais convocaram os cristãos para uma reunião, onde deveriam renunciar à fé e prometer voltar para às crenças da tribo. Mas os seguidores de Jesus se mantiveram firmes, mesmo correndo o risco de serem agredidos e terem a casa e as terras confiscadas.

Luta vencida

Os parceiros das Portas Abertas no México souberam da situação das famílias de Juan e Bernardo e providenciaram um advogado para cuidar da situação. As autoridades municipais assumiram o caso e os cristãos e os líderes da comunidade indígena entraram em acordo. Os seguidores de Jesus poderiam viver na aldeia, desde que continuassem a se reunir com os amigos cristãos fora do território.

“Agradecemos a Deus porque as negociações entre as autoridades municipais e paroquiais foram favoráveis a Juan e Bernardo. Os irmãos agora podem viver pacificamente a fé na sua comunidade, sem medo de serem expulsos. Estender essa mentalidade de pacificadores dos irmãos é a chave para que eles permaneçam como sal e luz em suas comunidades”, conclui um colaborador local.

*Nomes alterados por segurança.

Sobre nós

A Portas Abertas é uma organização cristã internacional e interdenominacional, fundada pelo Irmão André, em 1955. Hoje, atua em mais de 60 países apoiando cristãos perseguidos por causa da fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2024 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco