Cristãos são acolhidos por irmãos na fé e abrem loja na Índia

Ravi e a esposa estavam passando necessidade na pandemia, mas foram socorridos por outros cristãos ao redor do mundo

Hoje é o Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e Desenvolvimento. Essa data foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2002 para reafirmar a importância do respeito às diferenças culturais para o desenvolvimento da humanidade. Durante a pandemia de COVID-19, a Portas Abertas noticiou várias situações em que os cristãos não foram tratados com empatia, porque tinham a fé diferente da maioria no país onde vivem. O resultado disso foi discriminação e vulnerabilidade, tanto à pressão quanto à violência de extremistas.

Ser cristão na Índia é um desafio, principalmente para os que deixaram a fé hindu para seguir a Jesus. Ravi*, a esposa e a filha foram expulsos da casa e da comunidade onde viviam quando os familiares descobriram que eram cristãos. Depois de muita dificuldade para encontrar outro lugar para morar, foram acolhidos por um irmão na fé.

O cristão idoso encontrou um trabalho de diarista e alugou uma casa para viver com a família. Mas devido aos problemas de saúde que tem, só encontrou empregos que pagavam menos. Nesse tempo, ele e os familiares foram pressionados por radicais hindus para deixarem o imóvel. Como o dono da casa foi ameaçado também, a família cristã foi despejada e precisou se mudar para outro distrito.

Supridos em todas as necessidades

Outro desafio enfrentado por Ravi foi o casamento da filha. Ele não tinha condições de pagar pela cerimônia e nenhum parente se ofereceu para ajudá-lo. Mas depois de colocar a necessidade em oração, os irmãos da igreja colaboraram e organizaram tudo.

“Em todas as dificuldades e incertezas, Deus tem sido uma ajuda constante e colocado encorajadores em minha vida, provando que ele nunca deixa os filhos ou os abandona quando surgem tempestades na vida”, revela Ravi.

Quando a pandemia chegou na Índia, o cristão foi diretamente afetado. Já que não tinha dinheiro nem para alimentação dele e da esposa. “Clamei ao Senhor para ser nosso provedor e me lembrei do versículo de Salmos 118.8, que diz: ‘É melhor buscar refúgio no Senhor do que confiar nos homens’. Eu acreditei e mantive esse versículo enquanto tentava procurar empregos disponíveis”, conta o cristão.

Ravi confiou no Senhor e foi socorrido quando parceiros da Portas Abertas entraram em contato e o ajudaram a abrir uma loja de roupas. Agora ele consegue pagar as despesas como alimentação, moradia e suprir outras necessidades da família. “Deus viu minha situação e supriu minhas necessidades por meio da organização que se apresentou para me ajudar”, reconhece.

O cristão entende que a situação dele atual é um testemunho para os parentes e vizinhos: “Compartilho a minha história e falo sobre o amor que Deus tem por mim com meus clientes. Ele tem nos sustentado até mesmo em nossa velhice. Enquanto nossas forças estavam diminuindo, ele continuou nos renovando”, conclui Ravi.

* Nome alterado por segurança.

Pedidos de oração