Nepal celebra hoje 75 anos do rei Gyanendra

Gyanendra foi o último monarca do Nepal até que em 2008 o país se tornou uma república federativa

| 07/07/2022 - 08:00

Governo eleito no Nepal proíbe evangelismo e fechou muitas igrejas

Governo eleito no Nepal proíbe evangelismo e fechou muitas igrejas


O rei Gyanendra completa hoje 75 anos. Nascido em 1947, Gyanendra assumiu o trono em 2001, quando o regente anterior, seu irmão, foi assassinado. Assim, ele tornou-se o11º rei da dinastia Shah Deva. Em 2005, Gyanendra executou um golpe de estado, que dissolveu o parlamento e assumiu todos os poderes. Com esse golpe, o Nepal se tornou o último país com uma monarquia absolutista, em que o governante toma todas as decisões sozinho, sem consultar nenhuma instituição.  


Ele afirmou que fez o golpe como uma medid
a temporária para enfrentar a revolução maoísta, movimento político ideológico, e os conflitos causados por ela. No entanto, os oito anos de governo de Gyanendra foram marcados pelo autoritarismo e por conflitos violentos. 


Em 2006, após um ano do golpe, protestos populares pressionaram o restabelecimento do parlamento, o
primeiro passo para a democracia. Depois disso, Gyanendra desapareceu das celebrações oficiais e seu rosto foi retirado das cédulas da rúpia nepalesa (moeda local). Ele foi acusado pelas cerca de 20 mortes na repressão da revolta popular de 2006 e também foi denunciado por roubo de fundos estatais. Em 2008, a monarquia da dinastia Shah Deva, com quase 240 anos no Nepal, foi derrubada e a Assembleia Constituinte do Nepal declarou o país uma república federal e realizou eleições.  


O novo governo eleito afirma defender a liberdade religiosa e, de fato, no início os cristãos desfrutaram de uma liberdade maior do que tinham durante a monarquia. Porém
a religião hinduísta, que é a mais antiga no país, é privilegiada e oprime as outras religiões. A legislação atual proíbe o evangelismo, não há liberdade plena de culto para os cristãos e leis anticonversão são usadas para prender cristãos e fechar igrejas.  


Treinamento
 


O Nepal ocupa a 48ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2022. Os cristãos são considerados cidadãos de segunda classe, são intimidados e vivem pressão intensa no país, especialmente os que abandonaram o hinduísmo. 
 


Buscando ajudá-los, a
Portas Abertas ministra um treinamento que ensina como enfrentar a pressão, apresenta os direitos dos cristãos para que saibam se defender em casos de abuso judicial e organiza momentos de oração e ensino bíblico para fortalecer os participantes.  


Dinesh Poudel concluiu o treinamento e testemunha: “A Constituição nos dá alguma liberdade, mas ainda há muita discriminação. Não sabemos sobre muito dos nossos direitos. Estou muito grato a Deus e aos parceiros da Portas Abertas. Esse programa me ajudou a ter muita informação sobre os aspectos legais e sobre como usá-los em nossa vida. Eu com certeza vou ensinar outras pessoas que não participaram desse seminário”.
 


Ajude cristãos a conhecerem seus direitos 


O projeto da Portas Abertas no Sul da Ásia ensina cristãos sobre seus direitos para que possam se defender da perseguição quando forem injustamente acusados. Sua
doação apoia a preparação e fortalecimentos de cristãos perseguidos na região.




Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE