Irmão André fala sobre o tsunami

| 28/01/2005 - 00:00


Nas primeiras semanas de 2005, nosso escritório da Holanda foi inundado com perguntas sobre o tsunami, que trouxe morte e destruição para o sudeste asiático no dia 26 de dezembro de 2004. Demos algumas dessas perguntas para o Irmão André responder:

Deus esteve por trás do tsunami ou foi apenas um movimento natural nas profundezas da terra?
Nem uma coisa nem outra. Nada acontece por acaso, nem mesmo um desastre natural.
É necessário que tais coisas aconteçam, disse Jesus em Marcos 13, mas ainda não é o fim... Haverá terremotos em vários lugares e também fome. Essas coisas são o início das dores...E é necessário que antes o evangelho seja pregado a todas as nações.
Eu vejo tudo isso como um prelúdio do fim dos tempos. Deus está preparando as pessoas para o fim dos dias quando todas as certezas serão desfeitas. É exatamente como quando aconteceu o atentado de 11 de setembro de 2001, quando todas as certezas que os norte-americanos tinham foram dissipadas. Mas isso não significa que Deus está por trás disso. Um desastre como esses pode atingir qualquer um de nós. Nessa hora alcançamos o ponto em que percebemos que a verdadeira certeza só pode ser encontrada em Jesus Cristo..

Então isso poderia não ser uma punição vinda de Deus? Sabemos que todos os países afetados estão na classificação de países por perseguição de Portas Abertas, menos a Tailândia, mas esses resorts eram o cenário de pecados como Sodoma e Gomorra... Seriam essas pessoas piores que os moradores de Sodoma e Gomorra? Ou piores que eu e você? Eu não poderia afirmar isso...Não devemos julgar porque se não entraremos na questão da culpa, e isso não é bom para a mensagem da salvação em Jesus. Existe uma necessidade: devemos aceitar isso e não perguntar o porquê? Lembre-se do homem que nasceu cego e que foi levado até Jesus. Todos diziam que o homem nascera cego por causa do pecado de seus pais. Mas Jesus disse, Nem este homem pecou nem seus pais, mas isso aconteceu para que a obra de Deus se manifestasse na vida dele.
E Jesus o curou. Portanto, como cristãos, podemos literalmente transformar uma situação de necessidade provendo assistência e manifestando a glória de Deus.

Desde a introdução da lei Sharia em Aceh, Indonésia, todas as igrejas, exceto cinco, foram fechadas. Eu ouvi dizer que membros de uma igreja que se reuniu para o culto matinal no domingo dia 26 foram maltratados pelos muçulmanos locais. Por isso eles resolveram fazer o culto nas montanhas. Por causa disso, aqueles cristãos não foram atingidos pelas ondas gigantes. Mas aqueles muçulmanos foram. Você vê isso como um julgamento do Senhor?
Existem muitas outras pessoas que ficaram a salvo porque se abrigaram em mesquitas que não foram abaladas por causa de sua forte estrutura. Os muçulmanos disseram que isso foi um livramento de Alá.

Na Indonésia, muitas pessoas, inclusive muçulmanos, vêem o tsunami como uma punição pelo que os islâmicos têm feito aos cristãos. A televisão da Indonésia mostrou muitas pessoas em Aceh pedindo perdão por terem perseguido os cristãos. O que você acha disso?
No Sri Lanka um sacerdote budista pediu perdão a um cristão também. Isso mostra como as pessoas reagem a um desastre e como você também deve reagir diante desta situação. Arrependa-se e peça perdão pelo que fez de errado e por ter negligenciado a obra do Senhor. Cristãos que nunca compartilharam o Evangelho com seus vizinhos muçulmanos ou budistas devem pedir perdão também.

Como os cristãos desses países devem agir nesta situação?
Sem distinção de pessoas, eles devem salvar a quem der pra salvar, ajudar a quem podem ajudar e compartilhar com quem podem compartilhar. Uma situação como esta é ideal para mostrar que os cristãos são diferentes, e que o verdadeiro cristianismo é o que nos capacita a dar de beber aos nossos inimigos.

E como nós devemos agir?
Não devemos ignorar a necessidade que todas essas pessoas têm de ajuda material. Mas devemos também lembrar de Paulo quando disse que devemos fazer o bem a todos, mas especialmente aos da família da fé. Devemos sempre nos perguntar: Será que existe uma igreja ali? Então precisamos localizar essa igreja e perguntar o que eles precisam agora. Neste caso, eles também pedirão ajuda material, mas tenho certeza que pedirão primeiro por oração. Depois pedirão por meios de proclamar o Evangelho nesta situação em que estão todos tão abertos para ouvirem a Palavra de Deus.

Você acha que esse desastre trará algum aspecto positivo para a igreja nesses países?
Com certeza. Portas Abertas, com a ajuda de algumas agências de ajuda humanitária, está capacitando a Igreja local para que eles mesmos levem ajuda ao seu povo. Assim, todo o crédito será dado ao Senhor pelo que está sendo feito e não para os estrangeiros. Agências seculares não dão o crédito para Deus. Infelizmente, a maioria das agências cristãs de ajuda não se envolve por medo de serem acusados de proselitismo. O resultado é que as pessoas que são ajudadas agradecem às pessoas que as ajudaram ou aos seus ídolos. A igreja, por outro lado, faz a obra no nome de Cristo. E é assim que deve ser. Assim, as pessoas que recebem ajuda saberão exatamente a quem devem dar a glória! assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao pai de vocês, que está nos céus" Mateus 5.16


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE