Juiz quer satisfações sobre os dízimos de Kaká

| 14/01/2008 - 00:00


Eleito o melhor jogador do planeta em 2007, campeão mundial da FIFA com o Milan e o jogador mais cobiçado no momento, o brasileiro Kaká pode enfrentar problemas fora dos campos de futebol por causa do dízimo dado a uma igreja evangélica que está sob investigação.

Segundo a edição deste sábado da revista “Carta Capital”, Marcelo Batlouni Mendroni, juiz da 1ª Vara Criminal de São Paulo, pediu à Procuradoria-Geral de Milão, no último dia 14 de setembro, para ouvir o jogador sobre o dízimo anual que ele vem pagando à Igreja Renascer, estimado na casa dos R$ 2 milhões ao ano.

O juiz também quer saber sobre o grau da amizade do jogador com os fundadores da Igreja Renascer em Cristo, presos nos Estados Unidos após entrarem no país com um valor em dólar não-declarado. O Ministério Público não confirma a informação dada pela revista. O jogador Kaká também não se pronunciou a respeito do caso.

No site da “Carta Capital”, os internautas são convidados a responderem “O que você acha de Kaká doar cerca de R$ 2 milhões à Igreja Renascer?: Vote e veja os resultados aqui.

O caso abriu uma polêmica sobre um suposto abuso de poder por parte da Justiça e sobre a interferência na liberdade que o jogador possui para gastar o seu dinheiro conforme a sua vontade. Ofertas e dízimos são doações voluntárias.

Em nota, a Igreja Apostólica Renascer em Cristo se diz indignada com o que chama de “claro ato de perseguição religiosa perpetrada por um membro do Ministério Público paulista”, com o intuito de “atingir e intimidar seus fiéis, utilizando para isso o sucesso e reconhecimento do maior jogador do mundo apontado pela Fifa, Kaká”.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE