Partidos ameaçam governo para não alterar leis de blasfêmia

| 03/11/2009 - 00:00


A agência de notícias International Christian Concern (ICC) soube que no dia 31 de outubro, dois importantes partidos políticos alertaram o governo do Paquistão a não alterar ou revogar a lei de blasfêmia. Essa lei tem sido o maior motivo de violência contra os cristãos.

De acordo com o The Daily Times, Jamaat Ahl-e-Hadith do Paquistão e o Tehreek Tahafuz-e-Haqooq Ahl-e-Sunnat, partidos políticos predominantes com muitos apoiadores, ameaçaram iniciar protestos caso a lei seja alterada. O jornal citou Hafiz Abdul Guffar Ropari, o líder do Jamaat Ahl-e-Hadith do Paquistão, dizendo que o governo paquistanês não deve modificar a lei se “quiser permanecer no poder”.

As leis de blasfêmia estipulam que difamar o profeta Maomé ou profanar o Alcorão é um crime passível de morte ou prisão perpétua, respectivamente.

Os muçulmanos têm usado a lei para incitar a violência contra os cristãos. Em agosto, um grupo de muçulmanos matou 11 cristãos e incendiou mais de 40 casas devido à falsas alegações de profanação do Corão na cidade de Gojra.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE