Os efeitos do Boko Haram em Camarões

Como cristãos de Camarões passaram a ser afetados por ataques do grupo radical islâmico Boko Haram

| 27/03/2022 - 08:00

Pastor mostra buracos feitos por tiros de armas do Boko Haram em porta de aço de igreja em Camarões

Pastor mostra buracos feitos por tiros de armas do Boko Haram em porta de aço de igreja em Camarões


A insurgência de uma década do Boko Haram, que deseja transformar o Norte da Nigéria em um Estado Islâmico, tem causado uma tragédia cujos efeitos serão sentidos por muitos anos ainda. Além de atuar na Nigéria, os militantes expandiram sua batalha para territórios vizinhos no Oeste Africano.

Em lugares como o Norte de Camarões, vilarejos enfrentam ataques regulares. Isso torna a vida difícil para a maioria dos camaronenses no extremo norte do país, mas sobretudo para os cristãos, que se tornam um alvo específico. A Portas Abertas caminha com essas comunidades e tem testemunhado a coragem extraordinária exigida diariamente de nossos irmãos e irmãs na região.


Na divisa de Mayo-Tsanaga, na região do extremo norte de Camarões, 2019 foi um ano particularmente difícil para os que cristãos que vivem ali. Em janeiro de 2019, insurgentes saquearam e incendiaram duas igrejas, colocaram fogo em uma clínica dirigida pela igreja e em diversas casas das vilas de Gossi e Toufou. A instabilidade ainda se faz presente.


Um custo alto

Lami Mari, de apenas 24 anos, teve o marido morto em ataque do Boko Haram e agora precisa cuidar sozinha do filho, Kochika

Desde que os ataques começaram, os militantes destruiram diversas igrejas. Toda vez que eles montam outra igreja, os militantes procuram se livrar dela também. Em uma delas, eles tentaram abrir à força a porta de aço e incendiar o prédio, explica um ancião da igreja enquanto aponta para os buracos das balas. Mas, felizmente, a igreja permanece de pé. Ele explica a ação dos militantes em um dos ataques: “Eles vieram por volta das 18h, gritando ‘Allahu Akbar’ (Alá é o maior). As pessoas fugiram. Os responsáveis pelo ataque destruíram tudo de valor”.

Quando o Boko Haram ataca, não há tempo para os moradores da vila reunirem seus bens. Os militantes não apenas saqueiam e destróem pertences pessoais essenciais para a sobrevivência, mas também recursos valiosos da igreja e Bíblias.

O custo pessoal para os cristãos no extremo norte de Camarões é muito alto. Um exemplo disso é Lami Mari, uma viúva de 22 anos. Ela foi deixada para cuidar de seu filho, Kochika, sozinha. O marido dela, Baba Boukar, de 27 anos, foi morto no dia 4 de novembro, juntamente com Blama Angola, de 29 anos, ambos membros da igreja UEEC. De acordo com relatos, os homens foram emboscados e mortos por militantes do Boko Haram. Os corpos deles foram simplesmente descartados e depois detectados por forças de segurança que patrulhavam a área.


DIP 2022

A violência contra cristãos cresce a cada ano. Incidentes ocorrem de diversas formas, muitas vezes resultando em cristãos mortos e igrejas e vilas atacadas. Assim segue a igreja na Nigéria e Oeste Africano, sobrevivendo. Enquanto eles enfrentam essa tempestade, seu apoio faz uma enorme diferença na vida deles. Nosso convite é para que você não apenas veja e conheça a situação. Faça algo mais. Entre na história dos nossos irmãos e irmãs africanos e clame em unidade com a igreja brasileira. Quer saber como? Participando do Domingo da Igreja Perseguida 2022. Cique no banner abaixo e cadastre sua igreja.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE