42

Camarões

CM
Camarões
  • Tipo de Perseguição: Opressão islâmica, paranoia ditatorial, corrupção e crime organizado, hostilidade etno-religiosa, protecionismo denominacional
  • Capital: Yaoundé
  • Região: Oeste Africano
  • Líder: Paul Biya
  • Governo: República presidencialista
  • Religião: Cristianismo, islamismo e animismo
  • Idioma: Inglês, francês, grupos linguísticos africanos
  • Pontuação: 64


POPULAÇÃO
25,9 MILHÕES


POPULAÇÃO CRISTÃ
15,9 MILHÕES

Como é a perseguição aos cristãos em Camarões? 

O grupo extremista islâmico Boko Haram está ativo no Norte de Camarões e criou um ambiente hostil para os cristãos. Cristãos foram sequestrados e mortos, e igrejas foram alvo de ataques. Como o governo está frequentemente focado em outros lugares, é dada uma abertura para o Boko Haram expandir e continuar os ataques que visam os cristãos.   

Em áreas onde o Boko Haram está ativo, as atividades da igreja foram dificultadas ou perturbadas. Devido ao deslocamento de pessoas, as igrejas não têm sido capazes de funcionar normalmente nessas partes do país. Em outras áreas, liminares de segurança estabeleceram pesadas restrições às atividades da igreja.  

Em Camarões, é muito difícil para os muçulmanos que querem se converter ao cristianismo. Em partes de maioria islâmica, houve um processo de radicalização. Cristãos ex-muçulmanos foram ameaçados quando Bíblias ou outra literatura cristã foram encontradas em sua posse. Eles não são livres para expressar a fé ou crenças cristãs – mesmo para a família próxima – porque isso os expõe ao risco de respostas violentas da comunidade.   

Muitos cristãos ex-muçulmanos enfrentam problemas com comunidades locais em áreas remotas nas regiões do Norte, onde o governo central não é forte o suficiente para manter a paz e a liberdade religiosa – ou para defender essas áreas de ataques de extremistas islâmicos. As mulheres convertidas do islã são frequentemente forçadas a se casar com não cristãos, e as mulheres cristãs históricas enfrentam o perigo de sequestro pelo Boko Haram.  

“Os ataques são incessantes. À noite, vamos para as montanhas dormir e, pela manhã, voltamos para a aldeia para trabalhar. É assim que vivemos agora porque nossas casas não são seguras. Às vezes, podemos ver [o Boko Haram] nos observando das montanhas... possivelmente planejando o próximo ataque. Quando eles atacam, só podemos correr e nos esconder para nossa segurança. Muitos cristãos fugiram da aldeia porque não podemos prever quando será o próximo ataque.”  

Samuel, cristão perseguido em Camarões  

O que mudou este ano? 

Camarões subiu seis posições na Lista Mundial da Perseguição (LMP) 2021, comparado com a LMP 2020. A perseguição aumentou em quase todas as esferas da vida para os seguidores de Jesus em Camarões, e a violência também aumentou. É uma tendência preocupante para essa nação da África Subsaariana.   

Quem persegue os cristãos em Camarões? 

O termo tipo de perseguição é usado para descrever diferentes situações que causam hostilidade contra os cristãos. Os tipos de perseguição aos cristãos em Camarões são: opressão islâmica, paranoia ditatorial, corrupção e crime organizado, hostilidade etno-religiosa, protecionismo denominacional. 

Já as “fontes de perseguição são os condutores/executores de hostilidades, violentas ou não violentas, contra os cristãos. Geralmente são grupos menores (radicais) dentro do grupo mais amplo de adeptos de uma determinada visão de mundo. As fontes de perseguição aos cristãos em Camarões são: grupos religiosos violentos, líderes religiosos não cristãos, redes criminosas, parentes, cidadãos e quadrilhas e quadrilhasoficiais do governo, líderes de grupos étnicos, líderes religiosos cristãos.

 

Quem é mais vulnerável à perseguição em Camarões? 

É difícil que qualquer governo forte e estável – e a segurança que ele fornece – se estabeleça e desenvolva em Camarões. Os cristãos enfrentam violência por causa da fé no extremo Norte, onde o Boko Haram continua a organizar ataques; uma insurgência está crescendo nas regiões noroeste e sudoeste. Além disso, os convertidos do islã são alvos particulares em suas comunidades.  

Como as mulheres são perseguidas em Camarões? 

As mulheres cristãs no Norte de Camarões estão sujeitas a uma série de formas de perseguição relacionadas ao seu status na sociedade. Boko Haram frequentemente sequestra mulheres e meninas usa-as para trabalho forçado, além de obrigarem-nas a se casarem com extremistas. Onde as escolas ainda estão funcionando, alguns pais cristãos mantêm as filhas em casa para segurança delas 

Quando uma cristã se casa com um muçulmano e, mais tarde se separam, a família do marido muitas vezes se recusa a entregar a criança para a mãe, porque insiste que a criança deve ser criada à maneira muçulmana.  

Em parte devido à falta de educação, as mulheres em Camarões dependem do marido ou pais, e quando tomam a decisão de se converter ao cristianismo, a conversão é vista como um ato de rebeldia. Nessa situação, as meninas às vezes são coagidas a se casar com não cristãos.  

Em muitos casos, as famílias muçulmanas isolarão as convertidaao cristianismo ou adeslocarão para forçá-las a mudar de ideia. Segundo um relato, uma jovem mãe convertida ao cristianismo foi separada do marido e forçada a deixar o filho mais velho com ele. Por causa da situação de perseguição, ela também teve que deixar o segundo filho com seu irmão muçulmano, que acabou confiando a criança a outro vizinho muçulmano. 

Como os homens são perseguidos em Camarões? 

Em geral, a discriminação afeta os homens cristãos em relação a oportunidades de trabalho. Eles também sofrem pressão de funcionários do governo quando se opõem à corrupção. Quando um homem se recusa a se envolver em práticas antiéticas por causa das crenças cristãs, ele é insultado e chamado de covarde. Quando os empregos são recusados devido à discriminação, a família não pode prosperar.   

Na vida comunitária, a perseguição acontece de várias formas, começando pela falta de oportunidades educacionais para meninos cristãos. Boicotes sociais também afetam as famílias cristãs econômica, financeira e psicologicamente. Além disso, várias vezes os cristãos foram falsamente acusados e receberam julgamentos injustos em conflitos com muçulmanos.  

Em casos de sequestros, na maioria das vezes um homem ou menino é levado, deixando famílias cristãs sem fonte de renda. As comunidades diminuíram de tamanho devido a esses ataques, e muitas se mudaram para áreas mais seguras.  

Para os jovens, há pressão para participar de rituais tradicionais de passagem e outros rituais religiosos não cristãos. A violência e a pressão externas muitas vezes afetam as gerações dentro da igreja de forma diferente; jovens cristãos podem começar a perder confiança na autoridade dos pais e líderes da igreja, e ignorar a ênfase na não violência.  

O que a Portas Abertas faz para ajudar os cristãos em Camarões? 

Os programas da Portas Abertas em Camarões visam apoiar a igreja nas áreas de preparação para a perseguição, treinamento de discipulado e empoderamento econômico.  

Como posso ajudar os cristãos perseguidos?  

Além de orar por eles, você pode ajudar de forma prática doando para os projetos da Portas Abertas de apoio aos cristãos perseguidos. Doando para esta campanha, sua ajuda vai para locais onde a necessidade é mais urgente.  



Pedidos de oração de Camarões 

  • No Norte de Camarões, a vida das pessoas foi interrompida pela violência do Boko Haram, que se espalhou pela fronteira com a Nigéria. Muitas comunidades cristãs têm se tornado alvo. O nível de intimidação que esses cristãos enfrentam é extremamente difícil. Interceda por paz na tempestade.  
  • Ore pelos cristãos ex-muçulmanos, que eles sejam protegidos da violência e da opressão nas mãos da família, amigos e comunidade.  
  • Clame para que Deus proteja as mulheres cristãs em Camarões que estão em constante risco de sequestro, casamento forçado e violência sexual nas mãos do Boko Haram. Peça para que sejam protegidasque as vítimas encontrem cura de seus traumas, e que Deus confunda e desfaça os esquemas do inimigo.   

Um clamor por Camarões 

Senhor Deus, pedimos que mantenha nossas irmãs e irmãos em Camarões a salvo do mal. Pedimos particularmente que os poupe de ataques violentos nas mãos do Boko Haram. Oramos para que mude os corações dos extremistas islâmicos. Oramos para que dê esperança e alegria ao seu povo em Camarões. Em nome de Jesus, amém.    

Camarões é um país no Oeste Africano que divide fronteiras com Gabão, Chade, República Centro-Africana, República do Congo, Guiné Equatorial e Nigéria. O país tem mais de 200 grupos étnicos e é conhecido como “África em miniatura” devido a sua diversidade. O francês e o inglês são as línguas oficiais. Europeus fizeram contato com Camarões quando o explorador português, Fernando Po, liderou uma expedição no rio Wouri, em 1472. Em 1520, os portugueses estabeleceram uma plantação de açúcar que depois foi tomada pelos franceses, nos anos 1600.

Em 1884, o acordo entre Alemanha e chefes locais colocou o país sob domínio alemão. No final da Primeira Guerra Mundial, o país foi tomado da Alemanha e dividido em dois, com a França conseguindo domínio sobre 80% da área, e a Grã-Bretanha dominando os 20% restantes. A colônia francesa se tornou independente em 1960. Em 1961, a parte nordeste britânica de Camarões votou para se unir à Nigéria e a sudeste votou para se unir à parte francesa do país. O sudeste britânico de Camarões se uniu à parte francesa, formando a primeira República de Camarões, oficialmente conhecida como República Federal de Camarões.

Ahmadou Ahidjo governou o país de 1961 até 1981 com uma ditadura punho de ferro. Ele aboliu a estrutura de governo federal em 1972, seguida por mais medidas repressivas contra seus oponentes. Em 1982, ele foi substituído por seu vice, Paul Biya. Entretanto, Ahidjo tentou governar o país nos bastidores. Ele não foi bem-sucedido, e Paul Biya se tornou um sucessor efetivo e seu regime ditatorial continua a governar o país.

Nos últimos anos, o nordeste de Camarões esteve sob uma série de ataques orquestrado pelo grupo islâmico Boko Haram. Além dos ataques de militantes islâmicos, o país está atualmente enfrentando uma crise devido à insurgência dos camaroneses anglófonos que sentem que estão sendo maltratados pelo presidente e sua administração. Essa tensão crescente terá um impacto nos cristãos, pelo menos indiretamente, já que o Boko Haram terá mais oportunidades para atacar os cristãos se o foco do governo mudar de combatê-los para lidar com a questão da insurgência dos camaroneses anglófonos. Essa crise no país fez com que pelo menos 21 mil pessoas buscassem refúgio na Nigéria. De acordo com o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA, da sigla em inglês), no meio de 2018, cerca de 200 mil pessoas foram deslocadas internamente, algumas se uniram a grupos armados para combater o governo.

Uma eleição presidencial ocorreu em 7 de outubro de 2018, em que o presidente octogenário de seis mandatos, Paul Biya, foi declarado vencedor em 22 de outubro, após a rejeição da petição feita por diversos candidatos da oposição na corte constitucional alegando fraude e irregularidades. Em 6 de novembro, Biya, de 85 anos, foi juramentado para o sétimo mandato como presidente.

Após uma eleição e resultado eleitoral que foi imediatamente contestado por um dos rivais de Biya, Maurice Kamto, o governo começou uma repressão a líderes da oposição e apoiadores. Em janeiro de 2019, Kamto, o líder do partido da oposição, presidente do Movimento para o Renascimento de Camarões (MRC), foi preso em Duala. Em fevereiro de 2019, Kamto e seus apoiadores foram acusados em uma corte militar de crimes com pena de morte. Protestos na capital Yaoundé estão banidos.

Os portugueses trouxeram o cristianismo para o país em 1429. Entretanto, a Igreja Católica Romana apenas começou oficialmente a estabelecer congregações no país no final do século 19. A Sociedade Missionária Batista de Londres (LBMS, da sigla em inglês) enviou missionários que eram parte de um fluxo maior de comerciantes europeus e exploradores buscando por oportunidades de negócios e matérias-primas. Os primeiros missionários da LBMS foram levados por Alfred Saker junto com um grupo de pregadores batistas nas Índias Ocidentais, principalmente da Jamaica. Presbiterianos americanos chegaram em 1879.

Quando a Alemanha começou a colonizar a região, em 1880, os esforços protestantes foram assumidos pelos alemães batistas e missionários da Basileia. Missionários alemães católicos abriram a primeira missão católica bem-sucedida em 1890.

60% da população é cristã, 20,4% muçulmana e 17,5% segue religiões étnicas

Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE