Tajiquistão celebra 30 anos de independência

Entenda sobre a perseguição que os cristãos enfrentam no país

| 09/09/2021 - 16:30

O pastor Bahrom Kholmatov foi preso em 2017 após falsas acusações de extremismo no Tajiquistão

O pastor Bahrom Kholmatov foi preso em 2017 após falsas acusações de extremismo no Tajiquistão


No dia nove de setembro de 1991, o Tajiquistão se emancipou da União Soviética e hoje comemora 30 anos de independência. O país da Ásia Central faz fronteira com AfeganistãoUzbequistãoQuirguistão, e China. Após a independência, o país passou por uma guerra civil, que durou de 1992 a 1997. Desde o fim dos conflitos, a estabilidade política e a ajuda externa permitiram que a economia da nação crescesse.  

 
Ser cristão no Tajiquistão é um desafio, pois o governo e as autoridades perseguem aqueles que vivem como seguidores de Jesus. Desde criança, os cidadãos são privados de educação religiosa, e até os 10 anos não podem participar de atividades relacionadas à fé. Caso isso aconteça, os pais e a comunidade onde vivem são multados. Os cristãos ex-muçulmanos enfrentam ainda mais hostilidade por parte dos familiares e da comunidade. 

 
Reconstruindo a vida após a prisão 

No dia 10 de abril de 2017, o pastor Bahrom Kholmatov, do Tajiquistão, foi preso por falsas acusações de extremismo religioso. Ele liderava a Igreja Sou Min Sum Bogim, na cidade de Yavan. E, desde então, estava recluso sem autorização para receber visitas dos membros da igreja e tinha proteção especial para impedir que compartilhasse o evangelho com outros presos. 

 
Mas, em 18 de dezembro de 2019, o líder cristão foi solto da prisão pelas autoridades do país. Após a mobilização da igreja em prol do cristão e da família, através de doações, cartões e intercessão, o pastor escreveu uma carta de agradecimento para todos os irmãos que estiveram em oração por ele e a família. 

 
Queridos irmãos e irmãs, 

Os anos de 2017 a 2019 foram anos de testes de nossa fé, caminhando com Deus, não só para minha família, mas para muitas igrejas cristãs do nosso país. Esses desafios nos ensinaram a nos unir mais e confiar no Senhor em dificuldades. Durante a prisão, muitos cristãos de todo o mundo foram solidários conosco. Percebemos isso pelas cartas recebidas com palavras de conforto e apoio em oração.  

Muitos cristãos clamaram por mim e pela minha família. Em 18 de dezembro de 2019, fui liberto da prisão. Eu comemorei o Natal e o Ano Novo com minha família e a igreja. Esse evento me agradou e a todos os meus entes queridos. Para muitos, foi realmente a resposta as suas orações. O Senhor disse: “Eu não o deixarei”.  

Deus se mostrou através de muitos irmãos e irmãs e também através de vocês. Minha família e eu estamos muito felizes pelo apoio em oração e cuidados físicos que vocês forneceram. A vida após a prisão melhora gradualmente graças aos cuidados dos amigos. A saúde física mostrou estabilidade, todos os exames médicos estão normais.  

No início do ano passado, minha igreja foi atacada por pessoas más e o prédio foi confiscado pelo tribunal. Nossa igreja está se reunindo dentro de um contêiner. Oramos agora por um novo prédio para nossa igreja. Também pedimos que participem da oração e nos apoiem nisso. O apoio de vocês é a ajuda de Deus e nós aceitamos com um coração grato no Senhor.   

Deus abençoe a todos!  

Pastor Bahrom e Gulnora Kholmatov

 
Recentemente, os parceiros da Portas Abertas tiveram contato com o pastor Bahrom novamente. Ele se sente bem fisicamente e tudo está normal de novo. Ele já se recuperou do período na prisão. Além disso, a família também está bem. A esposa Gulnora trabalha em um hospital, os dois filhos continuam os estudos, e a caçula está terminando o nono ano. 

 
O líder ainda precisa ter cuidado com o trabalho como pastor. Ele ainda está registrado no serviço secreto, porque foi condenado como um “extremista” e está sob vigilância. Ele frequenta a igreja aos domingos, mas ainda não lidera as reuniões. No momento, ele se encontra com pessoas fora da igreja. 

 
Pedidos de oração 

  • Neste Dia da Independência do Tajiquistão, apresente o país em oração e peça para que o amor e a graça de Deus estejam sobre toda a população. 
  • Clame para que os seguidores de Cristo no país permaneçam firmes na fé, mesmo diante da perseguição que enfrentam. 
  • Apresente em oração a vida do pastor Bahrom e da família, para que o Senhor esteja com eles e dê renovo para o ministério dele. 

Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE