Melhorando o relacionamento com budistas

Como um jovem cristão em Bangladesh conseguiu criar vínculos com comunidades vizinhas budistas e compartilhar o evangelho

| 16/09/2019 - 12:00

Hoje, Philip tem uma farmácia, mas a quantidade de remédios é limitada

Hoje, Philip tem uma farmácia, mas a quantidade de remédios é limitada


Quando Philip, cristão em Bangladesh de quem já falamos, compartilhou com um pastor sobre preocupações quanto a comunidade, ele sugeriu que o jovem treinasse para ser um médico rural. Ele recebeu o treinamento, com a ajuda da Portas Abertas, graças às orações e generosidade de pessoas como você.

Durante seis meses, ele aprendeu sobre medicina geral, pequenas cirurgias e teologia básica. Além disso, recebeu certificação do centro onde fez o treinamento, que é aprovado pelo governo, um kit médico e apoio financeiro para começar uma pequena farmácia. Depois voltou para sua vila, onde agora serve como pastor e médico.

Como é grande a necessidade de cuidado médico na comunidade em que vive, o treinamento de Philip também o ajudou a construir relações com aqueles que não conhecem a Jesus. “Próximo a nossa vila, há vilas budistas. Eu nunca os visitara antes, mas agora, vou a essas vilas com frequência para servi-los. Eu sempre oro e peço para meus pacientes orarem comigo antes de começar meu trabalho. Eu os encorajo a depender de Jesus Cristo. Descobri que as pessoas sempre parecem ter medo de morrer. Então, eles concordam em orar comigo e eu conto sobre as obras milagrosas de Jesus Cristo”, disse Philip.

Ele explica que antes, os budistas não gostavam dos cristãos – eles zombavam e os insultavam. “Mas agora, começaram a mostrar respeito. Eles compram remédios de mim e dizem coisas boas sobre meu serviço”. A popularidade de Philip cresce diariamente. Sua natureza amigável ajuda as pessoas a aceitá-lo com facilidade e, gradualmente, estão começando a acreditar nele.

Philip espera que, por meio do seu trabalho, os vizinhos budistas sejam conduzidos à fé em Jesus. “Eu sonho com o dia em que esses budistas se tornarão cristãos e adorarão ao Senhor Jesus. Estou trabalhando nisso. Por meio do serviço médico, tenho construído bons relacionamentos e falado sobre Cristo”, conta.

Capacitação para cristãos no Sudeste Asiático
Em países do Sudeste Asiático, 70% da perseguição envolve cristãos que deixaram o budismo, religião predominante na região. Para que saibam como lidar com essa situação, a Portas Abertas oferece treinamentos de preparação para a perseguição. Sua contribuição possibilita que um cristão do Sudeste Asiático seja preparado para reagir à perseguição com esperança.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE