O que foi o ataque à universidade de Garissa?

Incidente no nordeste do Quênia completa sete anos hoje

| 02/04/2022 - 08:00

Antes do ataque, o prédio da Universidade foi cercado por 15 horas

Antes do ataque, o prédio da Universidade foi cercado por 15 horas


Após 15 horas cercando a Universidade de Garissa, na Páscoa de 2015, o grupo Al-Shabaab finalmente invadiu o local. Durante o ataque mais mortal do Quênia, 147 cristãos foram assassinados e outros ficaram feridos.

Os alvos dos radicais islâmicos eram os 250 jovens cristãos que participavam dos encontros da União Cristã, onde adoravam a Deus, estudavam a Bíblia e tinham curso de desenvolvimento de liderança. Por isso, todos os alunos muçulmanos tiveram a vida poupada.

Sala usada para oração, onde muitos alunos cristãos foram assassinados em 2015

Como alguns cristãos conseguiram sobreviver ao ataque?

Fred acordou com o barulho dos tiros e, ao ver que a universidade estava cercada, escondeu-se debaixo da cama. Apesar de dois terroristas terem entrado no quarto do jovem, eles não descobriram o esconderijo do cristão.

Já Ronnie* sobreviveu por um milagre, pois foi baleado na mão e mandíbula. Os ferimentos causaram a perda de três dedos e parte da audição. “Outras pessoas podem ficar um dia ou dois sem pensar no incidente. Para mim, é diferente. Sempre que olho para os meus dedos ou me esforço para ouvir alguém, sou forçado a lembrar de tudo novamente”, revela Ronnie.

Nick* estava na sala de oração quando o ataque começou e viu os irmãos na fé serem assassinados. Ao tentar fugir do local, foi baleado no braço e a lesão o impossibilita de levantar objetos pesados e fazer alguns tipos de atividades.

O que a Portas Abertas fez para apoiar a vítimas do ataque em Garissa?

Após o ataque na Universidade em Garissa, a Portas Abertas enviou colaboradores de 11 nacionalidades diferentes para levar consolo e encorajamento para todos os enlutados.

Um dos membros dessa equipe comentou na época: “O que eu poderia dizer para elas [pessoas] num momento tão triste? Sabemos que o ministério de presença é muito importante, é o encontro da igreja livre com a igreja perseguida, mas não é fácil saber qual mensagem o Senhor quer oferecer para quem está sofrendo tanto.”

Em 2020, a Portas Abertas promoveu um encontro para restauração de mais de 70 cristãos sobreviventes de todo o Quênia. Havia pastores e líderes de igrejas locais trabalhando no amparo e cura desses irmãos atingidos pela violência religiosa.

Sobreviventes reunidos durante encontro de restauração promovido pela Portas Abertas

Faz sete anos que o ataque aconteceu, mas as lembranças dele continuam na memória dos sobreviventes e a dor da perda está presente na família de todos que perderam entes queridos. Por isso, o apoio dos irmãos na fé ao redor do mundo é essencial para que eles permaneçam confiantes em Cristo. Continue orando pelos cristãos do Quênia vítimas desse incidente.

*Nomes alterados por segurança.

Pedidos de oração

  • Clame para que o Senhor console e fortaleça os cristãos atingidos pelo ataque à Universidade de Garissa.
  • Peça que Deus dê esperança aos cristãos traumatizados com o incidente e para que eles vejam o Senhor agindo em favor deles.
  • Ore para que os integrantes do Al-Shabaab tenham um encontro com Jesus e passem de perseguidores a propagadores da mensagem da cruz
    .

Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE