Uma vida em perigo

Quando um norte-coreano decide fugir de seu país precisa estar disposto a assumir os riscos de sua escolha

| 03/01/2022 - 08:00

Irmão John (pseudônimo) é um colaborador da Portas Abertas que precisa manter sua vida toda em sigilo já que trabalha diretamente com norte-coreanos que fogem para a China

Irmão John (pseudônimo) é um colaborador da Portas Abertas que precisa manter sua vida toda em sigilo já que trabalha diretamente com norte-coreanos que fogem para a China


A Revista Portas Abertas de janeiro apresenta a realidade atual da perseguição enfrentada na Coreia do Norte e na Chinae os riscos enfrentados por cristãos em ambos países. Por conta disso, os seguidores de Jesus são obrigados a viver a fé em sigilo.

O projeto do mês distribui alimentos e oferece apoio a cristãos norte-coreanos refugiados em casas seguras na China. A sessão aborda como a pandemia da COVID-19 fechou ainda mais as fronteiras da Coreia do Norte, dificultando muito a vida da população local. Isso motivou mais pessoas a se arriscarem a cruzar a fronteira, visando conseguir itens essenciais para suas famílias. Sua doação ajuda na distribuição de alimentos e apoio para cristãos norte-coreanos refugiados nas casas seguras na China.

Na matéria de capa, irmão Simon, coordenador do trabalho com norte-coreanos na China, explica sobre o trabalho realizado nas casas seguras e quais as atividades oferecidas aos refugiados. O foco principal é que eles ouçam e aprendam o máximo possível sobre a palavra de Deus.

Entrevista exclusiva com cristão norte-coreano

Além disso, também é possível conferir uma entrevista exclusiva dada a Portas Abertas Brasil pelo cristão norte-coreano Timothy*. Ele conta sua trajetória, da infância no país até a fuga para China e conversão. O cristão nasceu em uma família boa, em que os pais eram professores na Coreia do Norte.

Porém, na época da Grande Fome nos anos 1990, os planos de fuga da família para a China não ocorreram como o esperado e ele acabou ficando para trás, com apenas oito anos. Com 17 anos, Timothy também fugiu do país e pagou um alto preço por isso. Ao chegar no país vizinho, ele foi convidado ir a uma casa segura, onde teve seu primeiro contato com o cristianismo.

Conheça mais sobre a vida de Timothy na próxima notícia sobre o assunto deste mês que será publicada na semana que vem.

*Nome alterado por segurança.


Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

Instagram

© 2021 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE