Emirados Árabes Unidos

Posição no ranking:

57

Emirados Árabes Unidos
  • Tipo de Perseguição Opressão islâmica, opressão do clã, paranoia ditatorial
  • Pontuação na pesquisa
    61
  • ReligiãoIslamismo
  • CapitalAbu Dhabi
  • População9,9 MILHÕES
  • População cristã1,1 MILHÃO

Doe agora!

R$

*Informações referentes à Lista Mundial da Perseguição 2023. Em breve este perfil será atualizado.

Como é a perseguição aos cristãos nos Emirados Árabes Unidos? 

Cristãos expatriados são livres para adorar a Deus em ambiente privado ou nos complexos de igrejas registradas no país, mas o governo não permite evangelismo e orações em público. Como a sociedade é rígida com os cristãos, eles são muito cuidadosos em público e procuram praticar a fé em Jesus com discrição.  

Cristãos de origem muçulmana relatam que a família e a comunidade local são os principais grupos que os pressionam e perseguem. Quando expatriados muçulmanos se convertem ao cristianismo também enfrentam perseguição dos compatriotas que moram na região, pois, quando migram para os Emirados Árabes, as comunidades costumam ir em grupos e formam bairros com diferentes nacionalidades no país.  

Por causa das possíveis consequências severas, é quase impossível que cristãos de origem muçulmana revelem a conversão ao cristianismo, o que torna difícil identificar assassinatos e ataques causados pela fé em Jesus.  

“Prédios de igrejas nesta parte do mundo são vitalmente importantes. Ter um significa que você tem o selo de aprovação dos governantes.”

JOHN FOLMAR, PASTOR AMERICANO DE UMA IGREJA NOS EMIRADOS ÁRABES UNIDOS

Como as mulheres são perseguidas nos Emirados Árabes Unidos? 

Em geral, as mulheres são mais vulneráveis nos Emirados Árabes. Elas são vítimas de violência doméstica e de discriminação por serem mulheres. A lei também permite o estupro de mulheres casadas sem punição.  

As comunidades tribais consideram as mulheres como “membros inferiores da sociedade” que precisam de um homem para protegê-las e para serem tratadas como cidadãs. Esse contexto torna a pressão sobre as cristãs de origem muçulmana ainda maior. As famílias não aceitam que elas deixem o islã para seguir a Jesus e tentam forçá-las a rejeitar a fé cristã. Caso não cedam à pressão, os imãs (líderes muçulmanos) podem ser chamados para obrigá-la a reconhecer o pecado da conversão ao cristianismo ou a família pode submetê-las a prisão domiciliar.  

Mesmo que haja um homem cristão disposto a se casar com cristãs de origem muçulmana, por causa da família e da lei, elas são proibidas de se casar com não muçulmanos. Além do casamento civil, a cerimônia religiosa também é proibida, por isso, esse tipo de casamento é ilegal. Como o islã não aceita o casamento entre não muçulmanos e cristãs de origem muçulmana, quando esse tipo de união é descoberto, o casal pode ser acusado de relacionamento extraconjugal e preso por ao menos um ano. Quando mulheres cristãs se casam com muçulmanos também correm o risco de perderem a guarda dos filhos, pois a lei garante ao marido muçulmano a custódia em casos de divórcio. 

Pela lei, mulheres não muçulmanas não podem ser naturalizadas como cidadãs e perdem os direitos às propriedades do marido, a não ser que ele a nomeie como beneficiária em um testamento.   

As domésticas que trabalham nos Emirados Árabes são vítimas de assédios sexuais frequentes ou são submetidas a tratamento análogo à escravidão. O tratamento desumano com trabalhadores imigrantes, que inclui abuso sexual, se tornou um problema a nível internacional. Apesar de não diretamente relacionado à fé, muitas cristãs imigrantes são vítimas de abusos nos Emirados Árabes.   

Como os homens são perseguidos nos Emirados Árabes Unidos? 

Nos Emirados Árabes Unidos, cristãos de origem muçulmana são abandonados pelas famílias e desprezados e marginalizados pela sociedade. Em muitos casos, eles também podem perder a guarda dos filhos e a esposa caso ela peça divórcio.  

A rejeição da família não é apenas uma grande ferida emocional para esses cristãos, mas envolve grandes perdas sociais. Sem o apoio financeiro da família ou conexões que os ajudem a encontrar ou manter um emprego, é extremamente difícil se inserir no mercado de trabalho, pois a sociedade é baseada em conexões e indicações.  

Essa pressão pode obrigar homens cristãos a participarem de eventos religiosos não cristãos, que contradizem a fé em Jesus, para que continuem trabalhando e mantenham o status social. A intimidação também atinge a família, pois, tradicionalmente, na região, os homens são considerados os provedores da família. 

Além disso, sem a família e boas conexões sociais, os homens cristãos podem se tornar incapazes de encontrar uma família que queira entregar a filha em casamento para eles. Por causa da intensa opressão, muitos cristãos saem dos Emirados Árabes em busca de liberdade. 

Os homens cristãos imigrantes também enfrentam restrições, como a proibição de dirigir atos de adoração públicos. Só é permitido cultuar a Deus em ambientes privados.   

Como posso ajudar os cristãos perseguidos nos Emirados Árabes Unidos?  

Além de orar por eles, você pode ajudar de forma prática doando para os projetos da Portas Abertas de apoio aos cristãos perseguidos. Doando para esta campanha, sua ajuda vai para locais onde a necessidade é mais urgente. 

QUERO AJUDAR 

Quem persegue os cristãos nos Emirados Árabes Unidos? 

O termo “tipo de perseguição” é usado para descrever diferentes situações que causam hostilidade contra cristãos. Os tipos de perseguição aos cristãos nos Emirados Árabes Unidos são: opressão islâmica, opressão do clã, paranoia ditatorial. 

Já as “fontes de perseguição” são os condutores/executores das hostilidades, violentas ou não violentas, contra os cristãos. Geralmente são grupos menores (radicais) dentro do grupo mais amplo de adeptos de uma determinada visão de mundo. As fontes de perseguição aos cristãos nos Emirados Árabes Unidos são: parentes, oficiais do governo, cidadãos e quadrilhas.  

Pedidos de oração dos Emirados Árabes Unidos 

  • Peça a Deus que os cristãos expatriados que vivem nos Emirados Árabes não sejam vítimas de abusos e maus-tratos. 

  • Ore para que as cristãs de origem muçulmana não percam a guarda dos filhos por escolherem seguir a Jesus. 

  • Interceda pelos homens cristãos nos Emirados Árabes para que mantenham seus empregos e sejam respeitados em sua escolha de fé.  

Sobre nós

A Portas Abertas é uma organização cristã internacional e interdenominacional, fundada pelo Irmão André, em 1955. Hoje, atua em mais de 60 países apoiando cristãos perseguidos por causa da fé em Jesus.

Facebook
Instagram
Twitter
YouTube

© 2024 Todos os direitos reservados

Home
Lista mundial
Doe
Fale conosco