68

Honduras

HN
Honduras
  • Tipo de Perseguição: Corrupção e crime organizados
  • Capital: Teguilgapa
  • Região: América Latina
  • Líder: Juan Orlando Hernandez Alvarado
  • Governo: República presidencialista
  • Religião: Cristianismo, ateísmo
  • Idioma: Espanhol e dialetos ameríndios
  • Pontuação: 48


POPULAÇÃO
9,9 MILHÕES


POPULAÇÃO CRISTÃ
9,4 MILHÕES

Como é a perseguição aos cristãos em Honduras? 

Em áreas dominadas por gangues, cristãos que se opõem a atividades criminosas provavelmente enfrentarão assédio (seja por extorsão, agressões ou ameaças de morte) e até mesmo morte. Antigos membros de gangues que se convertem ao cristianismo também se tornam alvo de vigilância e retaliação, principalmente se a conversão deles não for considerada “genuína” na opinião do grupo criminoso. Devido aos altos níveis de corrupção e conluio entre as autoridades e os grupos criminosos, cristãos correm o risco de sofrerem represálias quando arriscam os interesses deles. 

“Cristãos em áreas dominadas por gangues violentas são particularmente visados quando o trbalaho na igreja é visto como um obstáculo às atividades criminosas.”

ROSSANA RAMIREZ, ANALISTA DE PERSEGUIÇÃO SOBRE HONDURAS

O que mudou este ano? 

Grupos criminosos (principalmente o Barrio 18 e o MS-13) exercem controle social sobre a maior parte das áreas do país, muitas vezes agindo com impunidade por meio da cumplicidade com oficiais do governo. A situação para os cristãos é principalmente difícil onde igrejas são ativas em programas com jovens que, muitas vezes, inclui antigos membros das gangues. O aumento da violência é principalmente devido aos altos números de mortes de líderes cristãos que são considerados uma ameaça aos interesses dos criminosos. Além disso, o governo (administração do presidente Hernandez) tem sido hostil com relação a qualquer igreja e/ou líder cristão que não apoie sua visão política. 

Quem persegue os cristãos em Honduras? 

O termo “tipo de perseguição” é usado para descrever diferentes situações que causam hostilidade contra cristãos. O tipo de perseguição aos cristãos em Honduras é: corrupção e crime organizado. 

Já as “fontes de perseguição” são os condutores/executores das hostilidades, violentas ou não violentas, contra os cristãos. Geralmente são grupos menores (radicais) dentro do grupo mais amplo de adeptos de uma determinada visão de mundo. As fontes de perseguição aos cristãos em Honduras são: redes criminosas e oficiais do governo. 

Quem é mais vulnerável à perseguição em Honduras? 

As principais áreas onde corrupção e crime organizado afetam os cristãos são Atlantida, Colon,  Comayagua, Copan, Cortes, El Paraiso, Francisco Morazan, Gracias a Dios, Intibuca, Lempira, Islas de Bahías, Olancho, San Pedro Sula, Santa Barbara, Tegucigalpa e Yoro. 

Como as mulheres são perseguidas em Honduras? 

Independentemente da religião, é perigoso ser mulher em Honduras. De acordo com relatórios do Observatório da Violência, houve 278 mortes violentas e homicídios relatados em 2020. Violência sexual e doméstica são gerais, embora mulheres demorem para reportar abusos devido às altas taxas de impunidade concedida aos autores.  

Cada vez mais mulheres e meninas estão fugindo da América Central em meio a relatos de que gangues criminosas estão sistematicamente visando meninas adolescentes para escravidão sexual. Entretanto, a maioria dos migrantes que fogem de Honduras são homens, deixando muitas famílias em Honduras conduzidas por mulheres. 

Com esse contexto de violência e instabilidade, meninas e mulheres cristãs podem enfrentar desafios adicionais com base na fé. Houve diversos relatos de filhas de pastores adolescentes sendo vítimas de violência, assédio sexual e coerção para participar de atividades pornográficas aos cuidados de membros de gangues. Elas são feitas de alvo com objetivo de chantagear ou intimidar as famílias para interromper as atividades missionárias que ocorrem no território da gangue. Algumas meninas são sequestradas e mortas por se recusarem a participar de relacionamentos sexuais com membros de gangues. Sobreviventes ficam traumatizadas psicológica e fisicamente. 

Finalmente, meninas e mulheres cristãs também são impactadas psicologicamente pela pressão extrema aos homens e meninos cristãos. 

Como os homens são perseguidos em Honduras? 

Altas taxas de atividade criminosa e a presença de gangues notórias como MS-13 e Barrio 18 também representam ameaças de segurança diárias a meninos e homens cristãos. Líderes de igrejas são principalmente vulneráveis a ataques e ameaças, sobretudo aqueles envolvidos em atividades missionárias ou que buscam impedir o tráfico de narcóticos. Extorsão por meio de multas e ameaças são comuns. No período de pesquisa da Lista Mundial da Perseguição 2022, houve diversos relatos de pastores  sequestrados e mortos violentamente.  

Uma das maiores ameaças enfrentadas por adolescentes e jovens cristãos é o recrutamento forçado das gangues. Enquanto meninas e mulheres são geralmente vítimas de violência sexual, jovens rapazes são explorados com propósitos criminosos, incluindo tráfico de drogas.  

Alguns membros da gangue têm permissão para deixar a gangue após a conversão ao cristianismo (principalmente em uma igreja evangélica), mas estará sob intenso controle e monitoramento da antiga gangue, bem como de gangues rivais. Qualquer sinal de que eles não estejam vivendo a fé ativamente pode resultar em morte. Ex-membros de gangues convertidos enfrentam desafios adicionais de para se reintegrar na sociedade e oficiais de segurança do Estado que os identificam como antigos membros de gangues — tipicamente pelas tatuagens ou cicatrizes — podem submetê-los ou impedi-los a qualquer momento por crimes suspeitos. 

À luz de tal pressão e ciclos de violência, muitos meninos e homens cristãos escolhem fugir de Honduras, embora permaneçam vulneráveis enquanto deslocados. 

Como posso ajudar os cristãos perseguidos em Honduras?  

Além de orar por eles, você pode ajudar de forma prática doando para os projetos da Portas Abertas de apoio aos cristãos perseguidos. Doando para esta campanha, sua ajuda vai para locais onde a necessidade é mais urgente. 

Pedidos de oração em Honduras 

  • Ore pela segurança dos cristãos em Honduras, já que o país possui gangues muito violentas. 
  • Clame para que o Senhor alcance o coração dos membros das gangues e os transforme com o seu amor. 
  • Peça a Deus por consolo para as famílias que perderam membros cristãos de forma violenta por causa da fé em Jesus. 

Quando a Espanha chegou para colonizar Honduras, a terra estava ocupada por uma variedade de povos indígenas. O ouro estimulou a Espanha a conquistar a área no início do século 16, e a cidade mineradora de ouro de Gracias se tornou a capital da América Central Espanhola em 1544. A independência da Espanha veio em 1821 e do México em 1823, quando Honduras se uniu à formação da República Federal da América Central. A oposição popular e conservadora às políticas liberais levou ao colapso da federação, e Honduras declarou sua completa independência em 5 de novembro de 1838. Durante meados do século 19, apesar de sua declaração de soberania, Honduras apoiou os esforços para restaurar a união da América Central, enquanto sua independência real estava limitada por seus vizinhos mais poderosos.  

Honduras foi governado por militares de 1963 até as eleições de Ramón Ernesto Cruz (1971-72). Porém o chefe das Forças Armadas, Osvaldo López Arellano, era quem detinha o poder real e em dezembro de 1972 removeu Cruz do cargo. Em novembro de 1981, o país elegeu um governo civil após 17 anos de  quase contínuo governo militar. 

O presidente Juan Orlando Hernandez, eleito pela primeira vez em 2013, foi reeleito para o cargo em dezembro de 2017 sob grande controvérsia. Em 2015, a Suprema Corte de Justiça julgou a favor de permitir o atual presidente a concorrer a outro mandato. Os partidos de oposição foram contra essa decisão e consideraram como uma violação da Constituição. Isso levou à agitação civil e o governo declarou estado de emergência e impôs toque de recolher. De acordo com o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, houve mais de 20 mortes, 60 feridos e cerca de 1.351 prisões por violação do toque de recolher. Apesar de todas os pedidos para anular o resultado das eleições e apesar das recomendações da Organização dos Estados Americanos para realizar novas eleições, Hernandez ficou no poder. Desde então, altos níveis de corrupção e impunidade se tornaram profundamente enraizados na sociedade hondurenha.  

Para fugir da violência e pobreza em Honduras, tem havido uma onda de migração rumo ao México e aos Estados Unidos. De acordo com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), com a flexibilização das medidas da COVID-19, milhares estão em fuga novamente, alguns buscando asilo na Guatemala.  

Em novembro de 2020, o Furacão Eta e o furacão Lota afetaram seriamente Honduras. As enchentes causaram mortes, desabrigamento, destruição de casas, estradas e infraestrutura. De acordo com a organização Médicos Sem Fronteiras, em 25 de novembro de 2020, 89.335 pessoas estavam em abrigos e 399.062 foram evacuadas de suas casas. Isso, mais a crise econômica causada pela pandemia da COVID-19, piorou a crise humanitária no país. 

Em novembro de 2021, em meio a uma alta participação popular, Honduras votou na primeira presidente mulher da história. Xiomara Castro (mulher de Manuel Zelaya, um antigo presidente deposto em um golpe em 2009), venceu com mais de 50% dos votos e se tornou a primeira presidente mulher de Honduras. 

O cristianismo chegou à América Central como resultado da colonização espanhola. Padres católicos romanos acompanharam os espanhóis e começaram a pregar aos indígenas. A primeira missa católica em Honduras foi celebrada nas atuais praias de Trujilo, em um domingo, dia 14 de agosto de 1502. Depois, em 1521, missionários franciscanos chegaram e, junto com os mercedários, em 1548, começaram a tarefa de evangelização e batismo dos ameríndios.  

Em 1768, Christian Frederick Post chegou como representante da Sociedade Anglicana para a Propagação do Evangelho em Lugares Estrangeiros. Ele e outros anglicanos foram enviados para pregar aos nativos de fala inglesa e colonos na costa de Mosquito. O reverendo M. Newport estabeleceu uma escola e depois uma igreja anglicana. Anglicanos estabeleceram congregações em Puerto Cortés, Tela e La Ceiba. Metodistas também chegaram às Ilhas da Baía em 1844, batistas dois anos depois, e adventistas do sétimo dia, em 1887.   

Evangelistas da Missão Americana Central chegaram em 1896. Depois, novos missionários chegaram e se estabeleceram em San Pedro Sula, Tela, Omoa, Puerto Cortés, Trujilo e outras comunidades no Norte do país. Em 1914, Humberto e Dorotea Cammack chegaram a Tegucigalpa e fundaram a primeira Igreja Evangélica dos Amigos em 1916, a atual Igreja Central da Santidade. A partir daí, o trabalho se espalhou para La Paz, Comayagua, La Esperanza, Márcala, Santa Lucía de Intibucá, Juticalpa e Catacamas.  

Honduras é um país de maioria cristã. A Constituição garante o livre exercício de todas as religiões e crenças sem nenhuma proeminência, desde que elas não violem as leis e a ordem pública. Também estabelece que líderes religiosos não devem manter cargo público ou interferir em processos políticos. Apesar disso, tem se tornado normal para líderes de igrejas falar sobre eventos de interesse nacional e manter cargo público. A igreja, como uma instituição, tem a maior presença territorial no país e desfruta de ótimos níveis de confiança em meio a comunidade e população. A Igreja Católica Romana é organizada em 250 paróquias; a Igreja Episcopal tem 38 congregações no total a nível nacional. Grupos de igrejas não tradicionais  (ou evangélicos) possuem mais de 17 mil congregações no país. Algumas delas pertencem a grandes denominações, como Assembleia de Deus e Igreja de Deus, enquanto muitas outras têm afiliações a redes menores ou trabalham de forma independente. 

Por muitos anos, o Estado tem mostrado uma tendência favorável à Igreja Católica Romana, entretanto, o governo também tem um relacionamento próximo com a Comunidade Evangélica de Honduras (CEH). Graças ao espaço concedido a essa organização, isso teve influência em várias instituições do governo durante os 12 anos que o Partido Nacional esteve no poder. Durante a campanha eleitoral de 2021, a Irmandade Evangélica assinou um acordo com o candidato à presidência do Partido Nacional, Nasry Asfura, no qual se comprometeu a aderir a princípios e valores cristãos.  

Representando as igrejas evangélicas independentes, a Rede de Pastores e Líderes Evangélicos de Honduras, a Lucas Foundation for Health e a Fraternidade Teológica Latino-Americana de Honduras criticaram severamente esse acordo, o chamando de uma forma de manipulação partidária e ideológica. Por outro lado,  os líderes das igrejas Católica e Evangélica, assim como o presidente da Associação de Pastores de Tegulcigalpa pediram a todos os partidos que mantivessem a paz nas eleições e para o Conselho Eleitoral Nacional agir com integridade. 

Em geral, deficiências na educação, na saúde, na segurança e nos serviços públicos essenciais são constantes. Essas falhas se tornaramm ainda mais evidentes com a pandemia de COVID-19. A comunidade internacional proveu ajuda humanitária, entretanto, houve críticas quanto a politização na entrega da ajuda, o acúmulo das doações pelo governo e as muitas situações que impediram a ajuda humanitária de chegar a milhares de hondurenhos. Líderes de igrejas, defensores de direitos humanos e outros se iraram com os obstáculos impostos pelas autoridades, que impediram a distribuição efetiva de comida, roupas e remédios. 

Há uma cultura de violação de direitos humanos pelo Estado e por agentes não estatais. De acordo com o Human Rights Watch, as forças de segurança cometeram abusos enquanto aplicavam o lockdown da COVID-19 em todo o país e o Relatório Especial da ONU sobre direitos humanos citou Honduras como um dos países mais perigosos para defensores dos direitos humanos na América Latina. 

O país tem uma história de protestos reprimidos, a maioria motivados por descontentamento popular com o governo atual; esse foi particularmente o caso em 2018 e 2019. Entretanto, em 2020, devido às medidas de confinamento da COVID-19, nenhum grande protesto ocorreu. Em novembro de 2021, o governo incorporou mudanças que podem afetar o direito de protestar. No geral, o sistema penal é regularmente manipulado para assediar ativistas de direitos humanos. 

Sobre nós

Uma organização cristã internacional que atua em mais de 60 países apoiando os cristãos perseguidos por sua fé em Jesus.

© 2022 Todos os direitos reservados

INÍCIO
LISTA MUNDIAL
DOE